Wall Street recupera. United Airlines dispara mais de 40%

Em mais uma sessão de alta volatilidade, as bolsas norte-americanas tentam uma recuperação ligeira. Empresas de viagens valorizam e as ações da United Airlines disparam mais de 40%.

As bolsas norte-americanas oscilam entre ganhos e perdas, em mais um dia de volatilidade nos mercados de capitais. Os sentimentos são mistos, com a mortalidade do novo coronavírus a atingir as 10.000 vítimas em todo o mundo, ao mesmo tempo que os estímulos dos bancos centrais trazem algum alívio aos investidores.

O S&P 500 já esteve a perder mais de 1%, mas tenta agora uma recuperação mais robusta, ganhando mais de 1,5%, a cotar nos 2.447 pontos. O mesmo se passou com o Dow Jones, que esteve a perder 0,38%, mas recupera agora acima de 1,8%. Apenas o tecnológico Nasdaq se tem mantido constantemente acima da linha de água, avançando 2,8%.

Uma das empresas que mais recupera é a United Airlines. Os títulos da companhia aérea disparam 41,09%, para 30,01 dólares, apesar de continuarem em mínimos de 2013. Também a empresa de cruzeiros Carnival Corporation tem sido uma das mais castigadas pela pandemia, mas avança 38% em bolsa, para 13,80 dólares por ação.

Em sentido inverso, algumas empresas de telecomunicações estão entre as que registam piores desempenhos. A Verizon desvaloriza 1,75%, para 52,65 dólares, enquanto os títulos da AT&T já esteve a afundar 8,15%, caindo agora 4,69%, para 29,69 dólares.

Perante a perceção de risco face à pandemia do coronavírus, os investidores também estão a comprar ativos de refúgio. O custo da onça de ouro ganha 1,22%, para mais de 1.497 dólares, enquanto o iene japonês valoriza face ao dólar.

(Notícia atualizada às 15h05 com bolsas a recuperarem)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Wall Street recupera. United Airlines dispara mais de 40%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião