Nos vende Nos ICS à Tofane. Contrata o mesmo serviço em outsourcing

  • Lusa
  • 1 Abril 2020

A Nos fez um acordo com a Tofane que pressupõe a venda da Nos ICS à empresa e a contratação, de volta, do mesmo serviço grossista de trânsito internacional de Voz e SMS.

A Nos NOS 13,48% celebrou um acordo com a Tofane Global e Ibasis para a transmissão da totalidade das ações da Nos ICS, tendo em vista a otimização da estrutura de custos relativa à terminação do tráfego em destinos internacionais.

Em comunicado, a operadora informa que foi “celebrado com a Tofane Global e com a Ibasis Portugal um acordo que tem como objeto, por um lado, a transmissão à iBasis (sociedade integralmente detida pela Tofane), das ações representativas da totalidade do capital social da Nos International Carrier Services (Nos ICS)”.

E, “por outro, correspetivamente, a prestação por parte da Tofane a empresas do grupo Nos, de serviços grossistas de trânsito internacional de Voz e SMS, serviços esses que eram anteriormente assegurados pela Nos ICS”, acrescenta a operadora de telecomunicações liderada por Miguel Almeida. “A concretização do referido acordo fica subordinada à não oposição por parte da Autoridade da Concorrência”, sublinha.

A Nos ICS registou no ano passado um volume de negócios de cerca de 141 milhões de euros, tendo gerado um contributo para o resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA) do grupo de aproximadamente 1,1 milhões de euros, refere a Nos.

“Com este acordo, o grupo Nos pretende otimizar a respetiva estrutura de custos relativa à terminação do seu tráfego de Voz e SMS em destinos internacionais, ao mesmo tempo que reforça a sua dedicação à sua atividade central”, conclui a operadora.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Nos vende Nos ICS à Tofane. Contrata o mesmo serviço em outsourcing

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião