Venda de negócio de análise de dados da Novabase à Vinci Energies gera contrapartida de 39,25 milhões

  • Lusa
  • 12 Maio 2020

As partes acordaram ajustamento líquido ao preço inicialmente pago pelo comprador e a verificação do ‘earn-out’ que estava dependente do desempenho final do Negócio GTE no final de 2019.

A Novabase anunciou esta segunda-feira que a contrapartida da venda do negócio de análise de dados para os setores de Governo, transportes e energia à Vinci Energies foi de 39,25 milhões de euros.

Num comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Novabase refere que, na segunda-feira, foi “confirmado, entre as partes, um ajustamento líquido ao preço inicialmente pago pelo comprador, bem como a verificação do ‘earn-out’ que se encontrava dependente da performance final do Negócio GTE que se verificasse no ano de 2019”.

Após estes eventos, adianta a mesma informação, a contrapartida obtida pela Novabase passa a ser de 39,252 milhões de euros, “correspondendo à soma do preço inicialmente acordado com o comprador de 33 milhões de euros, do ajustamento líquido agora efetuado e do ‘earn-out’ de três milhões de euros”.

Estes eventos permitiram também à Novabase precisar a estimativa de mais-valia anteriormente comunicada, que passa a ser de 14,9 milhões de euros. “Todavia, nos termos do contrato de compra e venda de ações celebrado entre as partes, podem ainda ocorrer alguns ajustamentos adicionais ao preço, até ao nono mês decorrido da data de concretização da alienação, pelo que este valor continua a ser uma estimativa e não veicula qualquer valor definitivo”, indica a mesma comunicação ao mercado.

A Novabase adianta que enviará nova informação ao mercado “se e quando os tais ajustamentos se verificarem e o justificarem”, precisando que a diferença entre a mais-valia apurada no final e a mais-valia registada nas demonstrações financeiras da empresa respeitantes a 31 de dezembro, no valor de 11,95 milhões de euros, será registada “nas respetivas demonstrações financeiras de 2020”.

A conclusão da venda do negócio de análise de dados para os setores de governo, transportes e energia à Vinci Energies foi comunicada à CMVM pela Novabase a 9 de janeiro de 2020. Na ocasião, a empresa ressalvou que, tendo em conta as cláusulas de ajustamento de preço acordadas pelas partes, não é possível estimar, com precisão, a contrapartida final que pode vir a ser obtida com a transação, bem como a mais-valia que a Novabase vai receber com a conclusão desta.

Assim, a Novabase “não atualiza a estimativa de mais-valia de 12 milhões de euros e 15 milhões de euros”, anteriormente divulgada.

O negócio GTE emprega atualmente perto de 400 colaboradores e representou uma faturação de 35 milhões de euros em 2018.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Venda de negócio de análise de dados da Novabase à Vinci Energies gera contrapartida de 39,25 milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião