Grupo EDP ganha mais de 4% após saída dos CEO

Com os investidores receosos quanto às previsões divulgadas esta terça-feira pela Comissão Europeia, as bolsas na Europa caem. Em Lisboa, o PSI-20 avançou à boleia das ações do grupo EDP e da Ibersol.

Lisboa encerrou a segunda sessão da semana no verde, em contraciclo com a tendência vivida na Europa. A segurar o PSI-20 esteve o grupo EDP, cujas ações não foram abaladas pelo afastamento judicial dos gestores António Mexia e João Manso Neto. O índice fechou a ganhar 1,02% para 4.451,22 pontos.

A praça nacional prolonga, assim, os ganhos registadas na sessão anterior, à boleia do grupo EDP. As ações da elétrica valorizaram 4,14%, para os 4,525 euros, enquanto as da participada EDP Renováveis avançam 4,94%, para os 13,16 euros.

A recuperação das ações das cotadas do universo EDP acontece após perdas de mais de 2% na segunda-feira numa sessão que foi mais curta do que o habitual face à suspensão da negociação pela CMVM que se seguiu à decisão do juiz Carlos Alexandre de afastar os CEO das duas cotadas de funções com efeito imediato no seguimento do caso EDP, impedindo-os mesmo de entrar em edifícios da elétrica.

Desempenho das ações da EDP

Maior valorização na bolsa de Lisboa só mesma da Ibersol. As ações da dona da Pizza Hut somaram 25,01% para 6,38 euros. Entre os “pesos-pesados” do índice, destacou-se a Galp Energia, que ganhou 0,66% para 10,63 euros, acompanhando a subida das cotações do petróleo nos mercados internacionais. O preço do barril de Brent valorizou 0,26%, para os 42,36 dólares no mercado londrino. Já o WTI ganhou 0,47%, para os 40,83 dólares, no mercado de Nova Iorque.

A travar avanços mais expressivos do PSI-20 estiveram os títulos ligados ao setor do papel e da pasta de papel, com a Altri a desvalorizar 2,24%, a Navigator a perder 1,36% e a Semapa a recuar 1,32%. Ao mesmo tempo, os títulos do BCP recuaram 0,91% para 10,90 cêntimos, ao passo que as ações da Nos perderam 1,59% para 3,58 euros.

De forma agregada, a bolsa de Lisboa acabou por fechar em alta e contrariar a tendência das principais pares. Na Europa, o Stoxx 600 — que reúne as 600 maiores empresas do Velho Continente — desvalorizou 0,57%, enquanto o francês CAC-40 perdeu 0,66%, o britânico FTSE 100 recuou 1,46%, e o alemão DAX perdeu 0,86%.

As bolsas reagem em baixa às previsões de verão da Comissão Europeia que apontam para uma contração de e 8,3% na UE este ano. Para Portugal, Bruxelas estimou uma quebra de 9,8% no PIB nacional este ano.

(Notícia atualizada às 17h09)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Grupo EDP ganha mais de 4% após saída dos CEO

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião