Perdas do Novo Banco levam banca a prejuízo agregado de 14,8 milhões

  • Lusa
  • 31 Julho 2020

As perdas semestrais de 555,3 milhões de euros do Novo Banco levaram o agregado dos cinco maiores bancos portugueses para um prejuízo de 14,8 milhões de euros.

As perdas semestrais de 555,3 milhões de euros do Novo Banco levaram o agregado dos cinco maiores bancos portugueses para um prejuízo de 14,8 milhões de euros, pois as restantes instituições lucraram, em conjunto, 540,3 milhões de euros.

Apesar dos lucros de 249 milhões da Caixa Geral de Depósitos (CGD), de 172,9 milhões de euros do Santander Totta, de 76 milhões de euros do BCP e de 42,6 milhões de euros do BPI que, em conjunto, totalizam 540,5 milhões de euros, os prejuízos do Novo Banco ‘arrastaram’ o resultado líquido agregado dos cinco maiores bancos a operar em Portugal para os prejuízos.

As perdas de 555,3 milhões de euros do banco que sucedeu ao Banco Espírito Santo (BES) levam, assim, o resultado agregado da principal banca portuguesa para um prejuízo de 14,8 milhões de euros no primeiro semestre de 2020, depois dos lucros agregados de 597,1 milhões de euros registados no mesmo período de 2019.

No primeiro semestre de 2019, o BCP tinha atingido 169,8 milhões de euros de lucro, o Santander Totta 275,9 milhões, o BPI 134,5 milhões e a CGD 417 milhões, sendo novamente o Novo Banco a parcela negativa no resultado líquido agregado.

Nos primeiros seis meses do ano passado, o Novo Banco registou 400,1 milhões de euros de prejuízos, um número menor face aos 555,3 registados no primeiro semestre deste ano.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Perdas do Novo Banco levam banca a prejuízo agregado de 14,8 milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião