Google Trends: Explosão em Beirute e “colapso” do mundo lideram pesquisas

  • Tiago Lopes
  • 8 Agosto 2020

A explosão massiva em Beirute liderou as pesquisas dos portugueses, mas o estudo que prevê o "colapso" da civilização em 40 anos também marcou a semana.

As duas fortes explosões registadas na capital do Líbano mataram mais de 150 pessoas. Uma delas, considerada a maior explosão não nuclear da História, acabou por ser o tema mais pesquisado pelos portugueses no motor de pesquisa da Google.

Outro assunto que cativou o interesse dos internautas foi a notícia de que o Ministério da Educação disponibilizou os vouchers para a aquisição dos manuais escolares. Lá fora, um estudo vaticina que a civilização pode colapsar num espaço de 40 anos.

Nos negócios, a semana ficou marcada pelo lançamento do Instagram Reels e pela continuação do braço de ferro entre Donald Trump e a rede social TikTok.

Cá dentro

Beirute foi palco de duas violentas explosões, a segunda muito mais violenta do que a primeira, num local onde estava armazenado nitrato de amónio, e que causou a morte a mais de 150 pessoas, fazendo ainda mais de 5.000 feridos. As autoridades do Líbano ainda tentam localizar centenas de pessoas que estão dadas como desaparecidas.

A origem concreta das explosões ainda está por conhecer, mas os primeiros indícios apontam como principal causa um incêndio num local que guardava largas toneladas de nitrato de amónio, uma substância usada em adubo, mas também bombas. Era carga apreendida de um navio russo há cerca de seis anos, e que acabou guardada num armazém no porto de Beirute.

As autoridades libanesas adiantaram também que foram detidos três trabalhadores por suspeitas de negligência que estavam a soldar um buraco na porta do Bloco 12, o mesmo contentor onde estavam 2.700 toneladas de nitrato de amónio, o que pode também estar na origem do incêndio que veio a dar origem à violenta explosão.

Depois das explosões, começaram a circular vários vídeos na internet e nas redes sociais que davam conta da brutalidade do momento. A CNN analisou uma imagem do local, com recurso a um software geoespacial, e concluiu que as explosões criaram uma cratera de cerca de 123 metros de diâmetro no porto de Beirute. As imagens publicadas na comunicação social têm marcado a semana e motivado milhares de pesquisas no Google.

A BBC News também partilhou um vídeo no Twitter do “antes” e do “depois” das explosões, que mostra a devastação provocada pelo violento rebentamento.

A notícia de que já estão disponíveis os vouchers para a aquisição dos manuais escolares para o próximo ano letivo levou a muitas pesquisas no Google. O Ministério da Educação contabilizou a disponibilização de mais de um milhão de vouchers para a aquisição de manuais escolares no dia de abertura da plataforma Manuais Escolares Gratuitos (MEGA), na segunda-feira, dia 3 de agosto. Numa primeira fase, os manuais estão disponíveis para os alunos do 2.º , 3.º, 4.º, 6.º, 8.º, 9.º 11.º e 12.º anos. A partir do dia 13 de agosto, os manuais ficam disponíveis para os restantes anos, 1.º, 5.º, 7.º e 10.º.

A corrida por um lugar na universidade depois de um fim de ano atípico, como consequência da pandemia do novo coronavírus, tem gerado um grande debate na internet em torno dos resultados dos exames nacionais. No início da semana que agora termina foram conhecidos os resultados dos exames nacionais, o que levou a milhares de pesquisas no motor de pesquisa da Google. Em quase todas as disciplinas houve uma subida das notas nos exames nacionais.

Como consequência da melhoria das notas, as médias de ingresso no ensino superior no próximo ano letivo vão ser mais elevadas na maior parte dos cursos. Em declarações ao Público, João Guerreiro, presidente da comissão nacional de acesso ao superior, garantiu que “não haverá injustiças” e que “os alunos ficaram todos na mesma situação”.

O número de vagas no ensino superior teve o maior aumento dos últimos sete anos. O concurso nacional de acesso a mais de 51 mil vagas ao ensino superior arrancou na sexta-feira, mais tarde do que o habitual devido à pandemia da Covid-19 que obrigou a adiar as datas.

A notícia da morte da atriz Fernanda Lapa, aos 77 anos, também mereceu muita atenção por parte dos portugueses nas pesquisas do Google. A atriz, encenadora e professora morreu na quinta-feira, em Cascais, onde estava hospitalizada.

“É com profundo pesar e imensa tristeza que a Escola de Mulheres comunica a morte de Fernanda Lapa, diretora artística desta companhia desde a sua fundação, em 1995”, escreveu a companhia de teatro Escola de Mulheres.

A fechar o top 5 dos temas mais pesquisados pelos portugueses na semana que terminou surge o nome do rei emérito espanhol Juan Carlos e a dúvida de qual o seu paradeiro. Na segunda-feira, foi divulgada uma carta que Juan Carlos enviou ao seu filho Felipe VI, Rei de Espanha, na qual anunciou a sua decisão de se afastar de Espanha para ajudá-lo a “exercer as suas responsabilidades”.

Inicialmente falou-se na possibilidade de Juan Carlos ir viver para o Estoril, em Portugal, onde passou parte da sua juventude. No entanto, a meio da semana, a imprensa espanhola dava conta que, afinal, Juan Carlos estaria na República Dominicana. Uma informação que ainda não foi oficialmente confirmada, mantendo-se a incógnita. A somar ao mistério está ainda o facto de o Ministério dos Negócios Estrangeiros dominicano assegurar não ter “qualquer informação” relativamente a uma eventual entrada do rei emérito espanhol naquele país.

Lá fora

  • Novo coronavírus, criado em laboratório? Quem o diz é uma virologista chinesa, que conta que teve de fugir para os Estados Unidos depois de receber várias ameaças. Li-Meng é cientista na Universidade de Saúde Pública de Hong Kong e afirmou numa entrevista à agência Lude Press que o vírus “foi criado num laboratório militar” do Exército de Libertação Popular, do Partido Comunista Chinês. No entanto, e apesar de se desconhecer a origem concreta desta estirpe, a comunidade científica aponta que o provável é ter sido transmitido por morcegos a outro animal, que o acabou por passar a um humano, visto ser muito semelhante a outros coronavírus já detetados naqueles mamíferos.
  • Colapso da civilização em 40 anos. Num estudo publicado na Scientific Reports, dois cientistas estimam que, se a humanidade mantiver o rumo atual e nada fizer para o mudar, a civilização pode caminhar para o “colapso irreversível” numa questão de décadas. “Os nossos cálculos mostram que, mantendo a atual taxa de crescimento populacional e consumo de recursos, em particular da floresta, temos apenas algumas décadas até um colapso irreversível da nossa civilização”, vaticinam Mauro Bologna e Gerardo Aquino.
  • Onde há festa não há água nem luz. O corte de água e de luz em Los Angeles, Estados Unidos, onde existirem festas ou ajuntamentos, foi autorizado como medida para travar a pandemia de Covid-19 naquele país. A medida entrou em vigor esta sexta-feira. O estado da Califórnia é um dos mais afetados pelo novo coronavírus, registando mais de 550 mil casos e quase 10.000 mortes. Los Angeles é uma das cidades que regista números diários mais elevados.

Nos negócios

  • Samsung apresenta novidades. A marca sul coreana, através um evento virtual em virtude da pandemia do novo coronavírus, deu a conhecer os novos topo de gama Galaxy Note 20 e Note 20 Ultra. A Samsung lançou ainda duas versões do novo Galaxy Watch3. Além dos telemóveis e dos relógios, a Samsung também voltou a apostar nos auscultadores sem fios. Os novos Galaxy Buds Live “apresentam o novo formato de uns verdadeiros earbuds, que primam pelo seu design elegante e ergonómico e pela sua tecnologia de excelência ao nível sonoro”, promete a empresa.
  • Trump assina decreto para banir TikTok. Donald Trump avançou com um decreto que proíbe todas as transações com a chinesa ByteDance, a empresa-mãe da rede social TikTok, no prazo de 45 dias, estipulando assim um prazo limite para a Microsoft fechar um negócio e ficar com a popular aplicação. O presidente dos Estados Unidos acusou a rede social de ser permeável às autoridades de Pequim, referindo-se a esta matéria como uma “emergência nacional”. A proibição também se aplica à plataforma WeChat, que pertence ao grupo Tencent. “Tal como TikTok, o WeChat capta automaticamente grandes quantidades de informação sobre os seus utilizadores, ameaçando dar ao Partido Comunista Chinês acesso a informação pessoal sobre os norte-americanos”, lê-se no decreto.
  • Chegou o Instagram Reels, o concorrente do TikTok. Aproveitando toda a polémica entre os Estados Unidos e o TikTok, o Facebook anunciou esta semana o lançamento do Reels, uma plataforma integrada na rede social Instagram que permite produzir vídeos até 15 segundos. “Hoje estamos a anunciar o Instagram Reels, uma nova forma de criar e descobrir vídeos curtos e engraçados no Instagram”, revelou a empresa em comunicado.

Nota: A Google Trends é uma rubrica semanal, publicada todos os sábados, que resume os temas mais populares da internet com base na ferramenta homónima da Google. É assinada pelo jornalista do ECO Tiago Lopes.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Google Trends: Explosão em Beirute e “colapso” do mundo lideram pesquisas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião