PGR e DCIAP criam novo mecanismo para combater fraudes com fundos europeus

Com o objetivo de desenvolver estratégias de prevenção e combate a fraudes com fundos europeus, o DCIAP e a PGR criaram o grupo de reflexão Think That.

Think That é o novo mecanismo criado pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) e acolhido pela Procuradoria-Geral da República (PGR). O objetivo é “desenvolver estratégias de prevenção e combate a fraudes com fundos europeus“, refere a PGR em comunicado.

Este grupo de reflexão, Think That, pretende identificar as “áreas de elevado risco de comportamentos fraudulentos“, as “linhas orientadoras de prevenção de fraude na gestão e controlo de fundos europeus“, e ainda “metodologias de ação ajustadas a comportamentos fraudulentos identificados“.

Com a duração prevista de dois anos, o grupo será composto por um magistrado do Ministério Público (MP) do DCIAP, um magistrado do MP de cada um dos Departamentos de Investigação e Ação Penal Regionais, um elemento do Núcleo de Assessoria Técnica da PGR e representantes do Organismo Europeu de Luta Antifraude, do Tribunal de Contas, do Banco de Portugal, da Polícia Judiciária, da Inspeção-Geral de Finanças, da Agência para o Desenvolvimento e Coesão, do Instituto de Financiamento da Agricultura e Pescas, da Ordem dos Revisores Oficiais de Contas, da Nova SBE (Nova School of Business and Economics), do ISCTE (Instituto Universitário de Lisboa) e da Transparência e Integridade Portugal.

“A Procuradoria Europeia poderá integrar também o Grupo de Reflexão logo que se encontrem reunidas as condições organizativas e funcionais internas para o efeito. Os resultados finais serão divulgados, designadamente, no Portal do Ministério Público”, refere a PGR em comunicado.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

PGR e DCIAP criam novo mecanismo para combater fraudes com fundos europeus

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião