Marisa Matias assume-se candidata contra o “medo” e os “privilégios”

A eurodeputada bloquista Marisa Matias é a mais recente candidata ao lugar de Marcelo Rebelo de Sousa no Palácio de Belém. Diz que é a candidata "contra o medo" e quer acabar com os privilégios

Depois de em 2016 ter arrecadado o melhor resultado de sempre para o Bloco de Esquerda (BE), Marisa Matias volta a a candidatar-se à corrida eleitoral para o Palácio de Belém. A eurodeputada diz ser a candidata “contra o medo” e declara que tem como prioridade acabar “com os privilégios”.

Sou socialista, laica e republicana. Vou às lutas e luto pelas minhas ideias ao lado de quem não desiste. Portugal precisa de uma política socialista, de pleno emprego, do fim da precariedade e do respeito pelo salário e da pensão”, disse Marisa Matias, aquando do anúncio formal, no Largo do Carmo, em Lisboa, transmitido pelas televisões.

“É essa a política que nos deve guiar nos meses mais difíceis do nosso século no tempo de uma crise que se vai agravar e que, no dia das eleições, ainda vai fazer vítimas”, acrescentou.

Perante uma plateia de profissionais que estiveram na linha da frente da Covid-19, Marisa Matias assume-se como candidata “contra o medo” e diz que pretende fazer a campanha a dar voz “à gente sem medo” e “a apoiar a coragem de quem cuida dos outros”.

Apesar de considerar que tem pontos de consenso com o atual Presidente da República, como no que toca às “exigências dos diretos pelas pessoas em situação de sem abrigo” ou aos cuidadores informais, Marisa Matias afirma que discordam “em questões essenciais” e, por isso, apela ao voto “sobre essa diferença”.

Marcelo quer um regime político de mais do mesmo. Eu quero um regime que responde à pandemia social e acabe com os privilégios”, defende, acrescentado que o atual Presidente da República “aceitou um regime financeiro que se foi desvairando em privatizações e negócios”, enquanto Marisa quer “uma banca pública de confiança”. “Não sou candidata por jogos partidários, por ajustes de contas, nem por necessidade de palco”, concluiu.

Em 2016, na corrida ao Palácio de Belém na qual Marcelo Rebelo de Sousa foi eleito, a eurodeputada conseguiu o melhor resultado de sempre de um candidato da área política bloquista, ficando em terceiro lugar, com 10,12% dos votos. Assim, esta será a quarta vez que Marisa Matias irá protagonizar uma candidatura bloquista, tendo duas sido como cabeça de lista ao Parlamento Europeu (2014 e 2019) e a outra como candidata apoiada pelo BE às últimas presidenciais.

Na corrida à Presidência da República, há oito candidatos ao lugar de Marcelo Rebelo de Sousa, nomeadamente Marisa Matias, a socialista Ana Gomes e o deputado André Ventura do Chega. Os comunistas deverão revelar no dia 12, sábado, que candidato à Presidência da República apoiarão nas próximas eleições. Até ao momento, Marcelo Rebelo de Sousa ainda não confirmou a recandidatura, estando a guardar para novembro o anúncio da decisão. Ainda assim, numa visita conjunta à Autoeuropa, o primeiro-ministro lançou uma segunda candidatura a Belém de Marcelo.

(Notícia atualizada pela última vez ás 18h00)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Marisa Matias assume-se candidata contra o “medo” e os “privilégios”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião