Caixa absorve negócio de leasing e sociedade que gere banco em Angola

Banco público vai incorporar as sociedades Caixa Leasing e Factoring e Partang para cortar custos e simplificar estrutura.

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) vai incorporar as sociedades Caixa Leasing e Factoring e Partang, esta última que gere a participação do banco em Angola, em processos de fusão que visam tornar a estrutura do banco público mais simples e eficiente.

“Estas fusões dentro do grupo CGD estão, nesta altura, a ser objeto de apreciação pelo regulador. As fusões fazem parte de um programa contínuo de otimização das estruturas legais, tornando o banco mais simples, eficiente e focado no cliente: menos custos e complexidade para um melhor serviço”, explica fonte oficial do banco público ao ECO.

A mesma fonte adianta que a fusão não terá “qualquer impacto direto no relacionamento com os clientes” da Caixa Leasing e Factoring, isto porque a comercialização dos produtos já era feita exclusivamente pela CGD. O projeto de fusão refere que a operação também não afetará a continuidade dos 117 trabalhadores da Caixa Leasing e Factoring.

"Estas fusões dentro do grupo CGD estão, nesta altura, a ser objeto de apreciação pelo regulador. As fusões fazem parte de um programa contínuo de otimização das estruturas legais, tornando o banco mais simples, eficiente e focado no cliente.”

CGD

Quanto à incorporação da Partang, sociedade que se encontra em liquidação, a medida implicará que a participação da CGD no Banco Caixa Geral Angola passa a ser detida diretamente pela CGD e já não através daquela sociedade. “Esta operação visa apenas a simplificação sem qualquer outro impacto”, sublinha o banco. A Partang não tem qualquer trabalhador.

Desde 2016 que a CGD tem vindo a simplificar a sua estrutura societária, seja através da alienação de algumas operações, seja pela extinção e fusão de sociedades. Por exemplo, no ano passado, procedeu à fusão das duas gestoras de ativos Caixa Gestão de Ativos e a Fundger e e integrou a Imocaixa na Caixa Imobiliário.

O projeto de fusão da Caixa Leasing e Factoring e da Partang destaca dois objetivos com esta simplificação societária, tal como foi acordado entre o Governo e Bruxelas:

  1. Concentrar numa única entidade o desenvolvimento das atividades atualmente dispersas pelas sociedades participantes;
  2. Eliminar a duplicação de obrigações e de custos de natureza legal, fiscal, operacional, financeira e de contexto, simplificando a estrutura do Grupo CGD através da extinção das sociedades incorporadas e consequente concentração numa única entidade de todas as atividades de gestão e procedimentos de índole burocrática.

A Caixa registou lucros de 249 milhões de euros na primeira metade do ano, uma queda de 40% face ao mesmo período do ano passado. Em setembro, Paulo Macedo apontou para lucros acima dos 500 milhões de euros em 2020.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Caixa absorve negócio de leasing e sociedade que gere banco em Angola

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião