Pandemia esmaga lucro do EuroBic. Depósitos recuperam do Luanda Leaks

EuroBic, ainda liderado por Teixeira dos Santos, registou lucro abaixo do meio milhão de euros na primeira metade do ano, uma quebra de 99%. Boa notícia: recuperou 160 milhões de euros em depósitos.

A pandemia provocou uma razia nos resultados dos bancos e o EuroBic não foi exceção. O banco ainda liderado por Teixeira dos Santos registou lucros abaixo do meio milhão de euros no primeiro semestre do ano, uma quebra de quase 99% face ao mesmo período do ano passado. A boa notícia: a instituição recuperou parte dos depósitos que perdeu na sequência do Luanda Leaks.

De acordo com as demonstrações relativas aos primeiros seis meses do ano, o EuroBic obteve um resultado líquido positivo de 410 mil euros, que compara com os lucros de 35 milhões registados no período homólogo.

Tal como os outros bancos, houve necessidade de aumentar imparidades no EuroBic no decorrer do segundo trimestre: passaram de 4 milhões de euros no final de março para mais de 19 milhões no final de junho. Isto ajuda a explicar a quebra nos resultados. Aliás, os cinco maiores bancos nacionais registaram cerca de 580 milhões de euros em provisões e imparidades para fazer face a uma deterioração do balanço por causa da crise pandémica, o que também provocou uma queda acentuada dos lucros.

O EuroBic encontra-se em fase de mudança acionista e dos seus órgãos sociais. Isabel dos Santos, detentora de 42,5% do capital, colocou a sua posição à venda na sequência do caso Luanda Leaks, um movimento que será acompanhado pelos outros acionistas do banco, como Fernando Teles (37,5%). Já Teixeira dos Santos e os atuais órgãos sociais, cujo mandato terminou no final do ano passado, vão ser substituídos: por exemplo, o novo CEO será José Azevedo Pereira, como o ECO avançou em primeira mão. Falta luz verde do Banco de Portugal para os novos membros iniciarem funções.

Depósitos recuperam após fuga

Apesar da crise provocada pela pandemia, nem tudo foram más notícias para o EuroBic. O banco havia registado uma fuga de depósitos no montante de cerca de 600 milhões na sequência do Luanda Leaks, um caso envolvendo Isabel dos Santos que, como o banco reconheceu, provocou danos reputacionais na instituição. O segundo trimestre trouxe uma reversão dessa tendência.

O balanço do banco contabilizava os depósitos na ordem dos 6,45 mil milhões de euros a 30 de junho. Trata-se de um aumento de cerca de 160 milhões de euros face a março deste ano.

Já os capitais próprios registaram uma descida ligeira no decorrer do segundo trimestre: desceram de 572 milhões de euros em março para 567 milhões em junho. Este é um indicador relevante para a avaliação do banco: aplicando métricas do mercado — o BCP, por exemplo, estava avaliado na bolsa a cerca de 40%-50% dos seus capitais próprios —, o EuroBic apresenta um valor de mercado de entre os 225 milhões e 285 milhões de euros. Há, porém, outros critérios para a definição do valor de um banco.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Pandemia esmaga lucro do EuroBic. Depósitos recuperam do Luanda Leaks

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião