Google Trends: Com Covid-19 em recordes, novas restrições destacam-se nas pesquisas

  • Tiago Lopes
  • 24 Outubro 2020

Portugal ultrapassou pela primeira vez a barreira dos 3.000 casos diários de Covid-19, levando à aprovação pelo Governo de novas restrições. Deslocações entre concelhos proibidas de dia 30 a dia 3.

O Governo proibiu as deslocações entre concelhos no fim de semana de 30 de outubro a 3 de novembro.

O aumento do número de casos de Covid-19 na Europa continua a ser tema incontornável. Esta semana, Portugal ultrapassou a barreira dos 3.000 novos casos diários e o Governo apressou-se a lançar novas medidas e restrições para tentar controlar a pandemia.

A marcar a semana esteve ainda o mau tempo causado pela depressão Bárbara, bem como o desporto. O regresso da Liga dos Campeões e da Liga Europa animou as pesquisas no Google, mas não foi só o futebol que captou a atenção dos portugueses. O desempenho do ciclista João Almeida na Volta a Itália também mereceu muitos elogios.

Cá dentro

Os números diários de casos de Covid-19 em Portugal atingiram recordes esta semana, ultrapassando a barreira dos 3.000 casos diários pela primeira vez desde o início da pandemia. Atento ao facto, o Governo apressou-se a aprovar em Conselho de Ministros novas medidas e restrições mais apertadas para tentar travar a curva crescente.

Para o país todo, foi aprovada a proibição de circulação entre concelhos de 30 de outubro a 3 de novembro. “Esta resolução implica que cada cidadão não possa circular entre concelhos como já tinha acontecido no passado, neste fim de semana”, explicou a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva. Não foi a única restrição: o confinamento está de regresso, mas mais localizado, concretamente em três municípios mais afetados do Norte.

As competições europeias regressaram esta semana, com o Porto a perder em Inglaterra frente ao Manchester City por três bolas a uma. A formação portuguesa ainda esteve a vencer, mas a equipa treinada por Pep Guardiola conseguiu dar a volta ao resultado.

“Sorte” diferente teve o Benfica, que foi à Polónia vencer o Lech Poznan por quatro bolas a duas, com o avançado Darwin Núñez a apontar três dos quatros golos da equipa portuguesa.

O desporto é dos tópicos mais pesquisados pelos portugueses no Google e esta semana não foi exceção. Menos comuns são os destaques de outras modalidades que não o futebol.

A notável prestação do ciclista João Almeida na Volta a Itália foi um dos assuntos que captou maior interesse. O português liderou a prova durante 15 dias, mas acabou ultrapassado na quinta-feira por Wilco Kelderman.

A depressão Bárbara encerra a lista dos cinco temas mais pesquisados em Portugal no Google esta semana. Ao todo, foram contabilizadas mais de 1.000 ocorrências devido à passagem do fenómeno pelo país. Faro foi o distrito mais afetado pelo mau tempo, registando diversas inundações, quedas de árvores e danos em estruturas.

Lá fora

  • Conta de Trump no Twitter “hackeada”. Um perito em segurança informática holandês terá entrado na conta de Twitter de Donald Trump, depois de descobrir a password do presidente dos EUA. O especialista terá descoberto que a senha era “maga2020!”, (referente ao slogan “Make America Great Again”).
  • Time “muda” o logótipo. A conceituada revista mudou de logótipo pela primeira vez em quase 100 anos, para apelar ao voto nas eleições presidenciais dos EUA, agendadas para 3 de novembro. Edward Felsenthal, diretor e CEO, explicou que “poucos acontecimentos vão transformar mais o mundo que há de vir do que a próxima eleição presidencial dos EUA” e que esta é uma “altura em que os americanos decidem se é tempo de carregar no reiniciar”.
  • Assassinato em França. Um professor de História e Geografia foi encontrado morto perto do colégio onde dava aulas nos arredores de Paris. O homem terá sido decapitado por um jovem de 18 anos. Dias antes do crime, o professor foi alvo de ameaças por ter mostrado aos alunos do 2.º ciclo um conjunto de caricaturas de Maomé numa aula sobre liberdade de expressão. Emmanuel Macron, presidente de França, já classificou o crime como um “característico ataque terrorista islâmico”.

Nos negócios

  • Facebook lança Dating. Apesar de já existir nos EUA há um ano, só agora é que o Dating do Facebook chegou à Europa. O novo serviço da popular rede social pretende ser um concorrente da aplicação Tinder. Nesta nova área dentro do Facebook estão disponíveis alguns recursos como Stories, “Paixões Secretas”, Eventos, Grupos e até encontros virtuais.
  • Bolt passa a entregar refeições. Bolt Food é o novo serviço que pretende concorrer com empresas como a Uber Eats e a Glovo. Numa primeira fase, o serviço estará disponível apenas numa área limitada de Lisboa, mas o objetivo é o de expandir a operação ao resto do país. Para utilizar a Bolt Food, os utilizadores têm de descarregar a aplicação para iOS ou Android, fazer o registo, e escolher dentro dos restaurantes disponíveis.
  • Fundação José Neves recebeu 262 candidaturas num mês. Lançada há cerca de um mês, o projeto de filantropia do presidente da Farfetch já conta com 262 candidaturas para o programa de bolsas reembolsáveis, o ISA FJN. Segundo uma nota da fundação, 63% dos candidatos são mulheres, 66% têm idades compreendidas entre os 25 e os 44 anos e a grande parte tem formação superior.

Nota: A Google Trends é uma rubrica semanal, publicada aos fins de semana, que resume os temas mais populares da internet com base na ferramenta homónima da Google. É assinada pelo jornalista do ECO Tiago Lopes.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Google Trends: Com Covid-19 em recordes, novas restrições destacam-se nas pesquisas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião