Caiado Guerreiro apoia Poke House em fusão

A Poke House Italia foi assessorada pela Caiado Guerreiro através da equipa liderada por Jorge Ribeiro Mendonça e que contou com o apoio de Rui Figueiredo Marcos e de Neuza Felizardo Carreira.

A sociedade de advogados Caiado Guerreiro assessorou a Poke House Italia na fusão com a cadeia homónima portuguesa, a Poke House Portugal, fundada no final de 2017 por Duarte Costa e Francisco Guedes.

A Poke House Italia foi assessorada na perspetiva de direito italiano pelo departamento legal interno coordenado por Giulia Bergamasco e no direito português foi assessorada pela Caiado Guerreiro através da equipa liderada por Jorge Ribeiro Mendonça e que contou com o apoio de Rui Figueiredo Marcos, advogado e de Neuza Felizardo Carreira, advogada estagiária.

“Através da operação anunciada recentemente, a Poke House Portugal receberá uma parte do investimento de cinco milhões de euros angariados pela cadeia com o mesmo nome no mercado italiano”, refere a firma.

Da fusão entre as duas empresas nasceu já o quinto restaurante Poke. “No seguimento da fusão com a Poke House Itália, a cadeia vai levar a cabo um processo de rebranding em Portugal e criar 180 novos postos de trabalho no próximo ano“, acrescentam.

A nível internacional, a marca já chegou a Espanha e o objetivo é agora alcançar a liderança do mercado EMEA (Europa, Médio Oriente e África) nos próximos dois anos, após completar o investimento de cinco milhões de euros.

Em abril de 2020, a Poke House Itália deu início a este investimento de cinco milhões de euros, do fundo Milano Investment Partners gerido pela família Moratti, que dá suporte ao plano da empresa na ambição de expansão e de adicionar ao portefólio 85 novos restaurantes nos próximos quatro anos. Matteo Pichi e Vittoria Zanetti fundaram a cadeia Poke House Itália na mesma altura que os empresários portugueses e com o mesmo nome.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Caiado Guerreiro apoia Poke House em fusão

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião