Zagope conquista obra de expansão do metro de Lisboa. Cria quase 90 postos de trabalho

A adjudicação desta obra à Zagope permitiu que a empresa mantivesse os postos de trabalho durante o confinamento e que aumentasse a equipa com 87 novos colaboradores.

A obra de expansão da rede do Metro de Lisboa fez com que fossem criados 87 novos postos e trabalho na Zagope, a empresa selecionada para a execução da empreitada de construção da futura linha circular, que ligará a estação do Rato e a nova estação de Santos.

De acordo com a empresa especialista em engenharia e construção, a adjudicação desta obra tornou possível a criação de quase uma centena de postos de trabalho e, também, que, durante o período de confinamento se mantivessem todos os postos de trabalho, sem recurso a lay-off.

A equipa, agora reforçada, que a Zagope diz ser “coesa, dinâmica e flexível, capaz de atuar em todas as áreas da construção civil”, dará “resposta às necessidades desta obra”, lê-se em comunicado.

A conquista desta obra, que pretende melhorar a mobilidade na capital, através do aumento da acessibilidade e da conectividade entre os transportes públicos, coincide com a entrada do novo CEO, Ricardo Sá, que além do novo cargo na Zagope, é também chairman do conselho executivo de administração da INZAG Germany GmbH e membro do conselho de administração do Grupo Andrade Gutierrez.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Zagope conquista obra de expansão do metro de Lisboa. Cria quase 90 postos de trabalho

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião