Tecnologia termina “rally” da Fed em Wall Street

Praças norte-americanas arrancam a sessão em baixa, penalizadas pelo setor tecnológico. Subida nos pedidos de subsídio de desemprego pesa em Wall Street, depois de os índices terem disparado até 3%.

As bolsas norte-americanas arrancaram a sessão desta quinta-feira a negociar em baixa. Os índices corrigem dos fortes ganhos da sessão anterior, numa altura em que os investidores ainda digerem a decisão da Fed de aumentar os juros em 50 pontos base, o maior aumento desde 2000, bem como o aumento dos pedidos de subsídio de desemprego. A tecnologia pesa epecialmente em Wall Street.

O S&P 500 recua 0,98%, para 4.257,85 pontos, enquanto o industrial Dow Jones cede 0,81%, para 33.784,98 pontos. Enquanto isso, o tecnológico Nasdaq desvaloriza 1,40%, para 12.783,35 pontos.

Na quarta-feira, o banco central norte-americano anunciou uma subida dos juros em 50 pontos base, a maior desde 2000, para combater a aceleração da taxa de inflação nos Estados Unidos, tal como esperavam os analistas. Não obstante, o presidente do banco central afastou a hipótese de uma subida de 75 pontos base nas próximas reuniões de junho e julho, o que desencadeou um rally nas bolsas e afundou os juros das obrigações no mercado secundário.

Os bancos centrais estão a apertar as condições financeiras num esforço para controlar a subida dos preços. Esta quinta-feira foi a vez de o Banco de Inglaterra anunciar que vai aumentar a taxa de juro de referência em 25 pontos base, colocando-a em 1%, apesar do receio crescente de que o país possa entrar em recessão.

Nesta sessão, em foco estão também os dados relativos ao mercado laboral, com os pedidos de subsídio de desemprego a aumentar na última semana, e as empresas a aumentarem os salários, o que pode contribuir para o aumento da inflação. Na semana terminada a 30 de abril, houve um aumento de 19 mil pedidos, para 200 mil no total, de acordo com os dados divulgados esta quinta-feira pelo Departamento do Trabalho dos EUA. Os economistas ouvidos pela Reuters apontavam para um total de 182 mil pedidos.

Entre as cotadas que se destacam nesta sessão está o Twitter. As ações desta rede social avançam 3,65%, para 50,85 dólares, após Elon Musk ter anunciado que captou mais 7,1 mil milhões de dólares para financiar a sua proposta de aquisição da rede social. Ainda no setor tecnológico, a Meta, dona do Facebook, cede 2,46%, para 217,90 dólares, enquanto a Apple recua 2,36%, para 162,19 dólares.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Tecnologia termina “rally” da Fed em Wall Street

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião