As escolhas de… Diogo Lopes Barata

Diogo Lopes Barata é managing partner da Lopes Barata & Associados e conta com experiência nas áreas de corporate governance, M&A, comercial, societário, imobiliário e contencioso.

Na edição de fevereiro da revista Advocatus, Diogo Lopes Barata, managing partner da Lopes Barata & Associados, com experiência essencialmente nas áreas de corporate governance, M&A, comercial, societário, imobiliário e contencioso, partilhou as suas escolhas.

Estas são as suas escolhas!

O livro favorito

“As Farpas” de Eça de Queiroz e Ramalho Ortigão

O filme que nunca perde…

Tenho vários, mas o último que me surpreendeu pelo seu enredo foi o “Miss Sloan”.

Uma série de sempre…

“Boston Legal” e “Suits”

A viagem de eleição…

A mais recente, o Japão. Contudo, já estou a pensar na próxima: Tibete ou Nova Zelândia.

Uma memória…

É sempre difícil eleger a memória mais marcante. Contudo, arrisco-me a dizer que uma das histórias que mais me marcou, foi ter conseguido evitar a insolvência de um cliente in extremis, após vários meses de difícil negociação, quer com fornecedores quer com Bancos. Mais do que um fim de uma empresa, estavam em causa mais de 100 postos de trabalho, com vários núcleos familiares totalmente dependentes desta empresa. Foi evitar o impossível no último segundo. Trabalhar e acreditar. Valeu a pena!

Na secretária nunca falta(m)…

Um laptop, lápis e papel.

A primeira coisa que faz quando acorda…

Correr.

O primeiro despertador toca às…

5:55 am (para treinar).

Para começar bem o dia nada melhor do que…

Uma corrida, um bom pequeno-almoço e um café.

A primeira coisa que faz quando chega a casa…

Desligar o botão do escritório para estar com a minha família…

Os tempos livres são para…

Estar em família.

Um lema de vida…

Tentar sempre ser melhor hoje do que fui ontem, a todos os níveis. Querer evoluir, sempre!

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

As escolhas de… Diogo Lopes Barata

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião