“Se tivesse uma varinha mágica, melhorava a justiça administrativa em Portugal”, diz Débora Melo Fernandespremium

A advogada da Gama Glória, Débora Melo Fernandes, refere que uma justiça lenta deixa de ser justa e acredita que a OA não deve substituir-se à faculdade nem ao patrono.

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos