Workplace e a arquitetura como ponto de partida para a produtividadepremium

Openbook Architecture está associado a alguns dos mais emblemáticos escritórios em Lisboa: à lista que inclui a Vieira de Almeida e a Abreu Advogados vão juntar-se as equipas da KPMG e da Microsoft.

Basta escolher uma série que retrate o mercado de trabalho de há 30 anos para perceber que vive-se hoje uma época muito diferente. “As pessoas trabalhavam fechadas nos gabinetes, com pouca comunicação e pouca colaboração entre as equipas”, descreve Paulo Jervell, um dos quatro partners do ateliê de arquitetura português Openbook Architecture. Paulo sabe do que fala. O ateliê onde trabalha assinou recentemente projetos como os recém-inaugurados escritórios das sociedades de advogados Vieira de Almeida e Abreu Advogados, ou a nova sede das empresas Microsoft ou KMPG, em Lisboa.

 

Quer ler este artigo? Assine a revista Pessoas

Comentários ({{ total }})

Workplace e a arquitetura como ponto de partida para a produtividade

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião