EDP tomba 4% e leva bolsa a liderar perdas na Europa

A investigação aos CMEC está a ter um efeito devastador nas ações da elétrica que são as principais responsáveis pelo deslize de 1% do PSI-20. As restantes energéticas também pesam no desempenho.

As ações da EDP mantêm as quedas registadas no arranque de sessão, sendo as principais responsáveis pelo tombo de 1% do índice PSI-20 que lidera as perdas na Europa. As ações da elétrica deslizam em torno de 4%, depois do Ministério Público ter anunciado que há suspeitas de corrupção ativa na EDP e REN e ter constituído o seu CEO arguido num processo de corrupção ativa. O desempenho do índice está a ser ditado também pelas energéticas REN e EDP Renováveis, ambas também envolvidas na investigação aos CMEC, mas também pela Galp Energia.

As ações da EDP abriram a derrapar 3,73%, para os 3,12 euros. No mesmo sentido seguem os títulos da REN e da EDP Renováveis, também envolvidas na mesma investigação, com os títulos de ambas a recuarem 1,75% e 0,75%, respetivamente, para os 2,80 euros e 6,90 euros. Além de Mexia, também Manso Neto, CEO da EDP Renováveis, é alvo de investigação do Departamento Central de Investigação e Ação Penal. Em causa, estão suspeitas de prática de corrupção ativa, corrupção passiva e participação económica em negócio. Ambos foram constituídos arguidos.

É perante estas quedas que o índice PSI-20 recua 0,99%, para os 5.264,86 pontos, aliviando assim de máximos de dezembro de 2015 registados na sessão anterior. O índice luso acompanha o sentimento negativo dos pares europeus, mas com perdas mais extensas. O Stoxx Europe 600 recua 0,19%, para os 391,79 euros, num dia em que diversas bolsas europeias estão encerradas devido a feriados nacionais. É o que acontece, com a alemã, por exemplo.

A ajudar a arrastar a bolsa nacional para o vermelho está também a Galp Energia, cujas ações recuam 0,8%, para os 13,62 euros, em contraciclo com as cotações do petróleo que aceleram no dia em que um conjunto de cinco países árabes cortou relações diplomáticas com o Qatar que acusam de apoiar o terrorismo.

No mesmo sentido segue o BCP, que após uma abertura positiva, vê as suas ações recuarem 0,93%, para os 23,53 cêntimos. Mais extensas são as quedas das unidades de participação do Montepio Geral que lideram as quedas em Lisboa. O título cai 4,31%, estendendo o tombo de quase 13% registado na sessão anterior.

No vermelho, de salientar ainda a Semapa, cujas ações recuam 2,91%, para os 16,36 euros, um desempenho que está a ser condicionado pelo facto de a cotada negociar a partir de hoje sem direito ao dividendo de 45 cêntimos que vai pagar na próxima quarta-feira.

 

Em alta, destaque para as ações da Jerónimo Martins que impedem perdas mais acentuadas do índice nacional. Somam 0,57%, para os 17,70 euros. No mesmo sentido, segue também a Sonae, cujas ações avançam 0,22%, para os 92 cêntimos.

(Notícia atualizada às 10 horas, com novas cotações)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

EDP tomba 4% e leva bolsa a liderar perdas na Europa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião