Encontrado corpo da oitava vítima do ataque em Londres

Oito pessoas morreram, outras 48 ficaram feridas. A polícia abateu os três suspeitos dos ataques e, entretanto, deteve 12 pessoas. Já foram todas libertadas.

Oito pessoas morreram e pelo menos 48 ficaram feridas nos ataques que ocorreram em Londres na noite deste sábado, na London Bridge e no Borough Market. Três suspeitos foram abatidos e outras 12 pessoas foram detidas na sequência dos ataques. A Scotland Yard anunciou que todos os detidos foram libertados sem qualquer acusação.

Eis o que já se sabe sobre os ataques:

  • Na manhã de quarta-feira a polícia britânica encontrou a oitava vítima mortal no rio Tamisa, anunciou a polícia metropolitana de Londres no Twitter.
  • Na terça-feira, foi identificado o terceiro suspeito do atentado na London Bridge. De acordo com a BBC, trata-se de Youssef Zaghba, de origem marroquina e italiana. Os outros dois suspeitos são Khuram Butt, de 27 anos, e Rachid Radouane, de 30 anos.
  • Às 22h08 de sábado, a polícia foi chamada à London Bridge, onde uma carrinha branca atropelou vários peões. A carrinha seguiu para o Borough Market e os ocupantes saíram da carrinha, esfaqueando várias pessoas. Estes ataques resultaram na morte de sete pessoas, deixando feridas pelo menos outras 48. 21 estarão em estado crítico.
  • Algumas vítimas já começaram a ser identificadas. Há pelo menos sete franceses entre os feridos, quatro deles com prognóstico reservado. Haverá também uma pessoa desaparecida. Há ainda quatro australianos entre os feridos. Um jornalista do Sunday Express também foi esfaqueado enquanto tentava prestar apoio, e está em estado crítico.
  • A polícia demorou oito minutos a chegar ao local dos incidentes. Identificou três suspeitos e disparou sobre eles, matando-os. Estes traziam com eles facas e coletes de bombas que, mais tarde, se descobriu serem falsos.
  • Esta segunda-feira, dois dos terroristas terão sido identificados como Khuram Shazad Butt e Rachid Rediuane, moradores de Barking.
  • A polícia londrina refere agora que o incidente está sob controlo, estando a decorrer investigações. A polícia pede ainda que quem tiver fotografias ou vídeos do incidente, as partilhe neste site.
  • Mais tarde, na sequência das investigações, 12 pessoas foram detidas na sequência de rusgas em Barking, na zona este de Londres.
  • No domingo à noite, o Estado Islâmico reivindicou o atentado através da agência de propaganda radical Amaq: “Um destacamento de combatentes do Estado Islâmico executou o ataque de Londres”, lia-se no website, de acordo com o jornal The Guardian.
  • O alerta de terrorismo em Londres está no nível “severo”, o mais alto. Nos próximos dias, haverá um reforço das forças policiais nas ruas londrinas, mas o mayor de Londres, Sadiq Khan, diz que os cidadãos não devem ficar alarmados.
  • Na reação oficial aos ataques, Theresa May adiantou que as eleições gerais, marcadas para quinta-feira, vão realizar-se como planeado. A primeira-ministra adiantou ainda que o Governo vai rever a estratégia de combate ao terrorismo, por forma a dar mais poder às forças de segurança.
  • Depois de Theresa May garantir que a polícia metropolitana tem os recursos necessários, o líder da oposição, Jeremy Corbyn, mostrou-se preocupado com as declarações e pediu a demissão da primeira-ministra.
  • As 12 pessoas que foram detidas na sequência dos ataques foram libertados sem qualquer acusação, revela a Scotland Yard. Entre os libertados está o irmão do bombista suicida de Manchester, Ismail Abedi, avança a Reuters.

(Notícia atualizada terça-feira, às 11h29, com mais informação)

O ECO recusou os subsídios do Estado. Contribua e apoie o jornalismo económico independente

O ECO decidiu rejeitar o apoio público do Estado aos media, porque discorda do modelo de subsidiação seguido, mesmo tendo em conta que servirá para pagar antecipadamente publicidade do Estado. Pelo modelo, e não pelo valor em causa, cerca de 19 mil euros. O ECO propôs outros caminhos, nunca aceitou o modelo proposto e rejeitou-o formalmente no dia seguinte à publicação do diploma que formalizou o apoio em Diário da República. Quando um Governo financia um jornal, é a independência jornalística que fica ameaçada.

Admitimos o apoio do Estado aos media em situações excecionais como a que vivemos, mas com modelos de incentivo que transfiram para o mercado, para os leitores e para os investidores comerciais ou de capital a decisão sobre que meios devem ser apoiados. A escolha seria deles, em função das suas preferências.

A nossa decisão é de princípio. Estamos apenas a ser coerentes com o nosso Manifesto Editorial, e com os nossos leitores. Somos jornalistas e continuaremos a fazer o nosso trabalho, de forma independente, a escrutinar o governo, este ou outro qualquer, e os poderes políticos e económicos. A questionar todos os dias, e nestes dias mais do que nunca, a ação governativa e a ação da oposição, as decisões de empresas e de sindicatos, o plano de recuperação da economia ou os atrasos nos pagamentos do lay-off ou das linhas de crédito, porque as perguntas nunca foram tão importantes como são agora. Porque vamos viver uma recessão sem precedentes, com consequências económicas e sociais profundas, porque os períodos de emergência são terreno fértil para abusos de quem tem o poder.

Queremos, por isso, depender apenas de si, caro leitor. E é por isso que o desafio a contribuir. Já sabe que o ECO não aceita subsídios públicos, mas não estamos imunes a uma situação de crise que se reflete na nossa receita. Por isso, o seu contributo é mais relevante neste momento.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Encontrado corpo da oitava vítima do ataque em Londres

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião