State Grid e Fidelidade vão ao aumento de capital da REN

CMVM deu luz verde ao aumento de capital de 250 milhões de euros da REN. Operação arranca a 23 de novembro e decorre até 6 de dezembro. Acionista chinês vai participar.

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliário (CMVM) deu luz verde ao aumento de capital de 250 milhões de euros da REN, uma operação que arranca já na próxima semana e que vai contar com a participação irrevogável de acionistas representando 35% do seu capital. Entre eles estão os chineses da State Grid e da Fidelidade, adiantou a gestora da rede elétrica.

Tanto o prospeto como o anúncio do aumento de capital da REN RENE 0,75% foram publicados esta quinta-feira no site do regulador dos mercados, sendo o passo que faltava para a empresa liderada por Rodrigo Costa poder avançar para a operação cujo resultado visa financiar a compra da EDP Gás à EDP por 530 milhões de euros. Cada nova ação será emitida ao preço de subscrição de 1,877 euros, o que representa um desconto de 25% face ao preço teórico da ação após o aumento de capital.

“A REN recebeu compromissos irrevogáveis dos seus acionistas State Grid Europe Limited, Fidelidade e Red Eléctrica Internacional, que representam um total de aproximadamente 35% do atual capital social da REN, informando que irão exercer os seus direitos de preferência, para subscrição de ações em montante proporcional às suas atuais participações”, informou a REN nesses documentos.

Entre os maiores acionistas da REN encontram-se companhia estatal chinesa State Grid (25%) e a Oman Oil (15%). A seguradora Fidelidade (detida pelos também chineses da Fosun) detém 5,3%, enquanto a Red Eléctrica Internacional (do grupo espanhol Red Eléctrica) possui 5%.

Em relação aos restantes acionistas com participações qualificadas, a REN diz que” não tem confirmação sobre a participação”, “pelo que no final da oferta os mesmos poderão ter mantido, reduzido ou aumentado as suas participações”.

Aumento começa no dia 23 de novembro

Depois de ter anunciado os termos do aumento de capital, nomeadamente o preço de cada nova ação a emitir, na passada segunda-feira, a REN comunica agora que a operação de exercício dos direitos de subscrição desses novos títulos começa às 8h30 do dia 23 de novembro e termina pelas 15h00 do dia 6 de dezembro.

A cada ação detida até dia 21 de novembro será atribuída um direito de subscrição de novos títulos. Ou seja, depois dessa data, as ações já não conferem o direito de participar no aumento de capital.

A gestora da rede elétrica detalha que “o número de ações a subscrever no exercício de tais direitos resulta da aplicação do fator 0,25124803 ao número de direitos de subscrição detidos no momento da subscrição, com arredondamento por defeito”.

Diz ainda que “no caso de ao número de ações subscritas não corresponder um número inteiro de cêntimos será feito arredondamento por excesso para o cêntimo imediatamente superior, e a diferença constituirá ágio [prémio] da emissão”.

Por outro lado, para os acionistas que não queiram exercer estes direitos de subscrição, a negociação destes direitos poderá ser feita entre 23 de novembro e 1 de dezembro.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

State Grid e Fidelidade vão ao aumento de capital da REN

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião