Centeno apela a líderes: Reforcem mandato do Eurogrupo

  • Lusa
  • 23 Março 2018

Centeno não quis dizer quais os pontos mais difíceis para os Estados-membros concordarem. “As matérias são consideradas todas igualmente importantes e igualmente difíceis".

Mário Centeno disse hoje esperar que os chefes de Estado e Governo, reunidos em Bruxelas, possam corroborar e acentuar o mandato do Eurogrupo para que o aprofundamento da União Económica e Monetária esteja concluído “o mais cedo possível”.

À entrada para a ‘cimeira do euro’, que reúne hoje os 19 Estados-membros da zona euro em Bruxelas, o ministro das Finanças português disse esperar que “os líderes europeus possam corroborar e acentuar o mandato que o Eurogrupo tem” no aprofundamento da União Económica e Monetária para que este seja “completado o mais cedo possível”.

“Estou hoje aqui para fazer uma apresentação aos chefes de Estado e de Governo daquilo que tem sido o trabalho do Eurogrupo em vários aspetos do aprofundamento da União Económica e Monetária. As discussões estão a decorrer no Eurogrupo, nós temos abordado diferentes temáticas desde completar a União Bancária até ao reforço do papel do mecanismo de estabilidade europeu […] e a dimensão orçamental da zona euro e da UE”, elencou Centeno, que participa no encontro na qualidade de presidente do fórum de ministros das Finanças da zona euro.

O líder do Eurogrupo revelou que as discussões têm decorrido normalmente, apesar de os debates serem sempre “muito profundos quer do ponto de vista económico, quer do ponto de vista político”.

Centeno escusou-se a apontar quais são os pontos mais sensíveis do debate entre os 19 Estados-membros, vincando que “as matérias enquanto não estiverem fechadas são consideradas todas igualmente importantes e igualmente difíceis”.

“Não estamos particularmente preocupados com nenhuma matéria, estamos preocupados com a coerência sistémica de todas as decisões que vamos tomar e do potencial benefício que elas possam ter para a Europa”, reforçou.

O ministro lembrou que as decisões sobre o aprofundamento da União Económica e Monetária estão agendadas para junho e que até lá o Eurogrupo tem “muito trabalho” a fazer. “Naquilo que tem sido o trabalho do Eurogrupo ele tem evoluído de forma bastante construtiva, sempre numa dimensão muito alargada de opiniões que existem na UE e na área do euro sobre estas matérias, mas sem preocupação de maior”, acrescentou.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Centeno apela a líderes: Reforcem mandato do Eurogrupo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião