Governo mantém nova meta do défice. “Não esperaria outra coisa”, diz Teixeira dos Santos

O BE pressionou, mas o Governo não cedeu e a nova meta de 0,7% de défice em 2018 é para cumprir. Teixeira dos Santos diz, no fórum do EuroBic, em parceria com o ECO, que "não esperaria outra coisa".

O Bloco de Esquerda aumentou a pressão mas o Executivo de António Costa não se deixou abalar. A nova meta para o défice deste ano é mesmo para concretizar, isto é, o objetivo passa agora a ser 0,7% ao contrário do previsto 1,1%. “Não esperaria outra coisa se não essa, depois do artigo de [Mário Centeno]”, considerou, esta quarta-feira, Fernando Teixeira dos Santos, no Fórum Desafios & Oportunidades promovido pelo Eurobic, em Setúbal.

Fernando Teixeira dos Santos diz que é positiva a posição do Governo.Paula Nunes / ECO

O atual líder executivo desse banco e antigo ministro das Finanças dos Governos de José Sócrates referia-se ao artigo de opinião de Mário Centeno publicado pelo jornal Público, no qual o governante assegura que não vai “colocar em risco o sucesso da economia e da sociedade portuguesa”.

“Qualquer inflexão neste momento na política orçamental poderia gerar apreensão nos investidores”, sublinhou, nesse sentido, Teixeira dos Santos, referindo que a decisão do Executivo foi “importante” até porque não se pode “arriscar” o bom momento que tanto “custou ao país”.

Ex-ministro das Finanças esteve, esta quarta-feira, em Setúbal.Paula Nunes / ECO

Guerra comercial de Trump é um risco

Questionado acerca dos riscos que a economia portuguesa pode enfrentar no seio do projeto europeu, o ex-ministro das Finanças teve dificuldades em apontar potenciais ameaças. “Não vejo do lado europeu que possam vir riscos de imediato”, reforçou.

O CEO do Eurobic salientou que a discussão sobre a construção europeia já assumiu mesmo um tom positivo. Além disso, no que diz respeito ao Brexit, o gestor garantiu que a “União Europeia já está a ajustar-se”, realçando somente a Itália como eventual fator disruptivo. “A única coisa que pode vir a abalar o panorama europeu é a situação em Itália”, enfatizou. Ainda assim, defendeu o ex-governante, esse país tem fortes ligações ao bloco europeu, pelo que uma saída não lhe parece para já provável.

Mas se, no quadro europeu, os riscos escasseiam, no panorama internacional há um monstro a evidenciar-se. “Tenho medo da guerra comercial de Trump”, adiantou Teixeira dos Santos, que disse que esta relação conflituosa com a China baseada no protecionismo norte-americano pode ter efeitos “perversos”.

Teixeira dos Santos diz não há procura suficiente pelo financiamento bancário.Paula Nunes / ECO

Projetos precisam-se

Agora que há liquidez na banca, são precisos projetos e “vontade de investir”, defendeu ainda Fernando Teixeira dos Santos, esta quarta-feira.

De acordo com o gestor, não há procura suficiente pelo financiamento dos bancos, até porque muitos dos novos projetos têm recorrido a capitais próprios, o que não deixa de ser positivo para a economia, disse.

O CEO do Eurobic reconheceu que há mais confiança nos empreendedores portugueses e avançou que, para além dos múltiplos projetos no setor imobiliário e no turismo, estão também a surgir e a dinamizar o mercado ideias em outras áreas da economia.

“Gostamos de financiar novos projetos. Queremos estar presentes e ser parceiros das empresas”, terminou Teixeira dos Santos.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Governo mantém nova meta do défice. “Não esperaria outra coisa”, diz Teixeira dos Santos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião