Madrid e Barcelona vão apertar cerco à Uber. Empresa ameaça sair

Quer chamar um Uber em Barcelona? Só com uma hora de antecedência. E em Madrid? Tem de estar perto do motorista. Medidas deverão ser anunciadas para responder aos taxistas. Empresa já ameaçou sair.

A pressão está prestes a aumentar para as empresas como a Uber e a Cabify que mantêm operações em Espanha. Madrid prepara-se para adotar uma medida que vai criar a uma distância mínima obrigatória entre o motorista e o passageiro quando uma viagem é pedida. Em Barcelona, o serviço terá de ser pedido com uma hora de antecedência.

A notícia foi avançada pelo jornal espanhol Vozpópuli, que cita fontes próximas das negociações. E, segundo a AFP e a Europa Press, estas medidas poderão levar a Uber a sair de algumas cidades espanholas.

Em Madrid, estas aplicações só poderão ligar passageiros a motoristas que se encontrem por perto, à semelhança do que aconteceria se o utilizador optasse por chamar um táxi que estivesse a passar na rua. Em Barcelona, os utilizadores destas aplicações terão de pedir o serviço com a antecedência de uma hora.

Estas medidas estão a ser adotadas numa semana em que os taxistas espanhóis voltaram a iniciar um protesto contra o serviço prestado por estas aplicações, que acusam de concorrência desleal. Segundo o Vozpópuli, estas medidas deverão ser anunciadas oficialmente esta sexta-feira.

Ao mesmo tempo, estará a ser preparada uma medida de contingentação para os fins de semana, através da qual a frota de automóveis ao serviço destas aplicações terá de ser reduzida para metade aos sábados e domingos.

Como avançou a AFP, este tipo de medidas está a cair mal junto das empresas que operam estas aplicações. Fonte oficial da Uber em Espanha disse que, se Barcelona avançar com a obrigatoriedade de pedir o serviço com antecedência, a empresa “não poderá continuar a prestar o serviço UberX” naquela região.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Madrid e Barcelona vão apertar cerco à Uber. Empresa ameaça sair

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião