“Error 404–Not Found”. Correria ao IRS volta a provocar falhas no Portal das Finanças

O Portal das Finanças está novamente com falhas. Por isso, não deverá conseguir entregar a sua declaração de IRS nos próximos momentos.

Se ainda não entregou a declaração de IRS e está agora a tentar fazê-lo, poderá ter dificuldades. Isto porque o Portal das Finanças está com falhas. Esta é, pelo menos, a terceira vez nas últimas duas semanas em que a plataforma tem este tipo de problemas.

A entrega da declaração anual de rendimentos arrancou no início de abril. Até ao momento, cerca de 1,5 milhões de contribuintes já cumpriram essa obrigação declarativa, ficando a faltar 3,5 milhões de agregados. As Finanças, por sua vez, já deram ordens de pagamento de 70 mil reembolsos.

Este ano, os portugueses têm até ao final de junho (e não de maio, como aconteceu nos anos anteriores) para entregarem o seu IRS, mas a correria nestas duas primeiras semanas tem sido notória. O Executivo de António Costa adiantou que os reembolsos deverão ser entregues aos contribuintes no prazo de 11 dias, o que deve explicar a tendência referida.

Ainda assim, o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais garantiu que os contribuintes que entregaram a declaração na primeira semana deverão receber esse acerto a par dos que só cumprirem essa obrigação declarativa na segunda semana, porque só a partir dessa data é que o processo atinge a “velocidade cruzeiro”.

Outro dos pontos que ajuda a explicar essa correria é o esperado reforço dos reembolsos. No ano passado, o Governo aumentou os escalões de IRS de cinco para sete, mas não ajustou as taxas de retenção por completo. Resultado? Todos os meses, os trabalhadores dependentes e pensionistas andaram a sofrer uma retenção dos seus rendimentos superior à devida, pelo que se esperam agora cheques mais “chorudos” das Finanças.

(Notícia atualizada)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

“Error 404–Not Found”. Correria ao IRS volta a provocar falhas no Portal das Finanças

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião