OCDE antecipa abrandamento na Zona Euro, mas Portugal está a estabilizar

Indicador da OCDE que antecipa viragem do ciclo económico mostra sinais de abrandamento nos EUA, na Zona Euro (em especial na Alemanha) e na Índia. Portugal fura tendência e está a estabilizar.

A economia da Zona Euro deve continuar a abrandar nos próximos seis a nove meses, especialmente na Alemanha, mas também nos Estados Unidos, antecipam os indicadores compósitos da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE). O indicador para Portugal está em sentido inverso e começou a estabilizar o ritmo de crescimento nos últimos meses, depois de mais de um ano a dar sinais de abrandamento.

O indicador compósito da OCDE antecipa momentos de viragem no ciclo económico relativamente à tendência de crescimento as diferentes economias, de seis a nove meses para o futuro em relação ao mês a que se referem quando são publicados.

Nos dados relativos a julho publicados esta segunda-feira, os sinais não são animadores, em especial para as economias mais desenvolvidas. Na Alemanha, nos Estados Unidos e na Índia, os indicadores apontam para um abrandamento do ritmo de crescimento destas economias. Em especial devido à Alemanha, os dados apontam para um abrandamento no conjunto da Zona Euro — uma tendência que se verifica há pelo menos um ano.

A economia alemã já deu sinais de uma inversão do ciclo no segundo trimestre do ano, quando contraiu 0,1%. O ritmo de crescimento nos últimos 12 meses também abrandou e para um nível ainda mais preocupante, apenas 0,4%.

Portugal está no sentido inverso. Depois de quase um ano a dar sinais de abrandamento, os indicadores avançados da OCDE apontam para uma estabilização da tendência de crescimento, ainda que para já as melhorias neste indicador sejam residuais.

Fonte: OCDE.

 

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

OCDE antecipa abrandamento na Zona Euro, mas Portugal está a estabilizar

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião