Miranda reforça área de Fiscal

Guilherme W. d’Oliveira Martins conta com 20 anos de experiência e centra a sua prática na área do Direito Fiscal. É Doutor em Direito, na área de Finanças Públicas, pela Faculdade de Direito.

A Miranda & Associados acaba de contratar Guilherme W. d’Oliveira Martins, como Of Counsel, para integrar a equipa de Fiscal.

Guilherme W. d’Oliveira Martins conta com 20 anos de experiência e centra a sua prática na área do Direito Fiscal. É Doutor em Direito, na especialidade de Finanças Públicas, pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, Mestre em Ciências Jurídico-Económicas pela mesma Faculdade e Licenciado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade Católica de Lisboa. Desde 2000 que é docente, sendo atualmente Professor Auxiliar, quer na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, quer no ISCAL – Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Lisboa, tendo também sido docente na Universidade Católica Portuguesa e na Academia Militar. O advogado frequentemente participa como orador e docente em diversos cursos de mestrado, doutoramento e conferências e seminários em Angola, Brasil, Cabo Verde, França, Guiné-Bissau, Macau e Moçambique.

Nas palavras do advogado “é com gosto e empenhamento que integro a equipa da Miranda, procurando prestigiar a função de advogado através da ligação da ideia serviço, responsabilidade e competência”. Para Diogo Xavier da Cunha, Presidente do Conselho de Administração da Miranda, “Esta integração surge num momento crítico de crescimento e reforço da nossa prática fiscal, em particular em Portugal, mas também ao nível da Miranda Alliance em países como Angola, Moçambique e Cabo Verde. O volume de solicitações na área fiscal, quer ao nível do contencioso quer ao nível da consultoria, aumentou significativamente e é com entusiasmo que vimos crescer a equipa com advogados tão competentes e experientes como o Guilherme”.

Esta recente contratação insere-se, na estratégia de crescimento da Miranda, em Portugal e a nível internacional, visando atender às crescentes solicitações na área fiscal.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Miranda reforça área de Fiscal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião