Maurício Marques sai da Bosch Car Multimedia. É o novo diretor de recursos humanos da Natixis

  • Pessoas
  • 4 Dezembro 2019

Novo responsável pela gestão de talento da fintech reporta localmente a Nathalie Risacher, senior country manager da Natixis.

Maurício Marques é o novo diretor de recursos humanos da Natixis. Durante seis anos diretor de recursos humanos da Bosch Car Multimedia Portugal, onde esteve responsável pela estratégia de recursos humanos da empresa, — tendo apoiado o crescimento da mesma no país com a contratação de cerca de 2.000 novos colaboradores, entre os quais mais de 750 engenheiros –, o gestor ingressa assim na fintech, a divisão internacional de banca empresarial e de investimento, de gestão de ativos, de seguros e serviços financeiros do Groupe BPCE – Banque Populaire & Caisse d’Epargne, que tem em Portugal o Centro de Excelência em IT.

De acordo com a Natixis, Maurício Marques deverá reportar localmente a Nathalie Risacher, senior country manager da Natixis em Portugal, que desde julho acumula a função com a de COO da área de Banca Empresarial e de Investimento da Natixis EMEA.

Em 12 anos na Bosch, Maurício Marques esteve durante 12 anos em empresas da Bosch: Bosch Termotecnologia, em Aveiro, Bosch Security Systems, em Ovar, e Bosch Thermotechnik, na Alemanha. O gestor é formado em Psicologia Social e do Trabalho pela Universidade Fernando Pessoa, tem uma pós-graduação em Six Sigma pelo Politécnico de Leiria e um certificado do Programa Geral de Gestão Intensivo da Porto Business School.

Com cerca de 16.000 funcionários em 38 países, a Natixis tem uma série de áreas de especialização organizadas em quatro linhas principais de negócio: gestão de ativos e património, banca empresarial e de investimento, seguros e serviços financeiros especializados. A Natixis é a divisão internacional de banca empresarial e de investimento, de gestão de ativos, de seguros e serviços financeiros do Groupe BPCE, o segundo maior grupo bancário em França, com 31 milhões de clientes e duas redes de banca de retalho, Banque Populaire e Caisse d’Epargne.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Maurício Marques sai da Bosch Car Multimedia. É o novo diretor de recursos humanos da Natixis

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião