Apple com lucros recorde. Vendas do iPhone crescem, AirPods e Apple TV+ também ajudam

A Apple alcançou lucros recorde no trimestre concluído em dezembro, tendo emitido um "guidance" acima do esperado para o trimestre em curso.

Tim Cook tem motivos para celebrar. As receitas da Apple atingiram um recorde no último trimestre e os lucros da empresa voltaram a crescer, batendo as estimativas dos analistas, de acordo com informações divulgadas esta terça-feira pela empresa, após o fecho dos mercados em Wall Street. A empresa está a colher frutos com uma subida nas vendas de iPhones, mas também graças a acessórios populares como os AirPods e às subscrições da Apple TV+.

O lucro por ação da Apple no primeiro trimestre fiscal concluído em dezembro — o mais importante para a empresa, marcado pela chegada às lojas dos novos iPhones e por abranger o período das compras do Natal — fixou-se em 4,99 dólares. O valor reportado é substancialmente superior aos 4,54 dólares por ação antecipados pelos analistas.

As receitas da empresa alcançaram um recorde de 91,82 mil milhões de dólares entre outubro e dezembro e comparam com os 84,31 mil milhões gerados no período homólogo. Ao mesmo tempo, as vendas de novos iPhones alcançaram os 55,96 mil milhões de dólares, uma subida face aos 51,98 mil milhões de dólares registados no mesmo trimestre de 2018.

O resultado líquido da Apple fixou-se em 22,24 mil milhões, contra 19,97 mil milhões no mesmo trimestre do ano anterior, outro recorde e um crescimento que não se verificava há mais de um ano, segundo o The Wall Street Journal (acesso pago).

A puxar pelas contas da marca norte-americana liderada por Tim Cook estiveram, sobretudo, as vendas dos novos iPhones, mas também o sucesso de acessórios como o relógio Apple Watch e os auscultadores sem fios AirPods (cujos novos modelos chegaram a esgotar em plena época natalícia). Além disto, a empresa também beneficiou das novas linhas de receita, como é o caso das subscrições da nova plataforma de streaming Apple TV+.

Após a divulgação dos resultados, as ações da Apple avançaram 3%, tocando os 325,84 dólares nas negociações fora do período normal. A empresa emitiu um guidance positivo para este trimestre, admitindo esperar receitas entre 63 mil milhões e 67 mil milhões de dólares, acima dos 62,41 mil milhões projetados pelos analistas, o que está a animar os investidores, que temem um abrandamento do consumo privado e da economia mundial.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Apple com lucros recorde. Vendas do iPhone crescem, AirPods e Apple TV+ também ajudam

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião