5 coisas que vão marcar o dia

Governo reúne com parceiros sociais sobre medidas de apoio ao coronavírus. Corticeira Amorim apresenta resultados.

O coronavírus continua a marcar a atualidade nacional e internacional. Por cá, o Governo vai reunir com os parceiros sociais para discutir medidas relativas ao Covid-19 e os mercados deverão reagir aos desenvolvimentos do surto, após as perdas da semana passada. A época de apresentação de resultados continua. Esta segunda-feira, é a vez da Corticeira Amorim prestar contas ao mercado.

Governo reúne com parceiros sociais sobre coronavírus

O Governo e os parceiros sociais vão reunir-se esta segunda-feira, em concertação social, para discutir medidas relativas ao impacto do Covid-19. A convocatória foi enviada pelo Conselho Económico e Social a pedida da ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. Por forma a mitigar o contagio do novo coronavírus, o Executivo irá assegurar o pagamento integral do salário dos trabalhadores que forem colocados em isolamento, quer sejam funcionários públicos ou empresas privadas. O Covid-19 já matou 3.600 pessoas em todo o mundo e infetou mais de 105 mil pessoas, incluindo mais de duas dezenas em Portugal.

Coronavírus mantém mercados sob pressão

O surto de coronavírus deverá continuar a condicionar as negociações nos mercados de capitais, depois de ter provocado uma hecatombe nas principais praças europeias e norte-americanas nas últimas duas semanas. Com o surto a ganhar força na Europa, sobretudo a partir de Itália, os investidores continuarão de olhos postos nos números que vão chegando sobre os novos casos de infeção, bem como medidas de contenção. Na semana passada, o PSI-20 acumulou uma perda de 2%, equivalente a menos 263,4 milhões de euros.

Estratégia dos produtores de petróleo por definir

Os maiores produtores de petróleo não se entendem quanto à estratégia a seguir para travar o impacto do coronavírus no mercado petrolífero (devido à quebra na procura). A Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP) tinha anunciado que iria propor, na reunião da passada sexta-feira, um corte adicional da produção de 1,5 milhões de barris por dia, aos dez produtores de petróleo aliados. Mas a Rússia, não concordou. Para colocar pressão, a Arábia Saudita anunciou que vai inundar o mercado de petróleo, levando os preços a registarem uma queda de mais de 30%.

Como vão as contas da Corticeira Amorim?

Após uma pausa, a época de resultados regressa à bolsa de Lisboa. A Corticeira Amorim apresenta, esta segunda-feira, os resultados relativos ao último ano. Entre janeiro e setembro, a empresa liderada por António Rios Amorim teve uma quebra dos lucros de 7,1% para 54,4 milhões. Ao mesmo tempo, a faturação da Corticeira Amorim cresceu 3,2% nesse período, para um total de 603 milhões de euros.

Orçamento do Estado chega a Belém

O Presidente da República recebe esta segunda-feira o texto final do Orçamento do Estado para 2020. Marcelo Rebelo tem agora três alternativas: promulga, veta (enviando novamente a proposta para o Parlamento) ou envia para fiscalização preventiva da constitucionalidade para o Tribunal Constitucional. O texto final do Orçamento do Estado para 2020 foi aprovado em votação final global a 6 de fevereiro. Este é o primeiro OE em democracia que prevê um excedente orçamental de 0,2%.

(Por lapso foi referido que os resultados do Haitong Bank seriam apresentados esta segunda-feira, uma vez que não é foi retirado essa indicação)

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

5 coisas que vão marcar o dia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião