Randstad lança “kit digital” para gestão de talento durante a pandemia

A empresa de recrutamento Randstad lançou um "kit digital" para as empresas terem ferramentas para continuarem a gerir o talento, dentro e fora da organização.

A Randstad lançou um kit digital com soluções de recrutamento, seleção, formação, gestão de pessoas e planeamento do futuro, que se podem adaptar às características de cada empresa, com ajuda dos consultores profissionais da empresa de recrutamento.

“A conjuntura COVID-19 trouxe vários desafios para as empresas, principalmente para aquelas que não estavam familiarizadas com o trabalho à distância ou com o digital a 100%. Mantendo o foco na gestão de pessoas, a Randstad oferece agora às empresas a possibilidade de usufruírem de algumas das soluções tecnológicas já utilizadas internamente com os seus clientes, garantindo que assim têm ao seu dispor as melhores práticas para enfrentar o novo paradigma do mercado do trabalho”, refere a Randstad em comunicado.

O kit disponibiliza ferramentas para recrutar online, ter acesso aos perfis de potenciais candidatos e, ainda, soluções para quem já faz parte da empresa, como formações e-learning ou sessões de live training. Pode ainda aceder a ferramentas para avaliar o desempenho das equipas, comunicar e gerir horários e aumentar o envolvimento através de estratégias de feedback. Se, por outro lado, teve de recorrer ao lay-off, o kit digital inclui ainda estratégias para o ajudar a regressar à normalidade, dando acesso a dados atualizados do mercado de trabalho e estratégias para preparar o regresso dos trabalhadores.

*Informação corrigida às 16h09, que se referia ao acesso gratuito ao kit digital. A Randstad informa que este serviço se trata de uma nova oferta comercial, de caráter não gratuito, composta por um conjunto de soluções digitais já utilizadas pela empresa nas várias áreas de ação. O valor das soluções “varia consoante as necessidades das empresas, sendo que, numa primeira fase, algumas poderão contar com etapas isentas de custos”, esclareceu a Randstad.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Randstad lança “kit digital” para gestão de talento durante a pandemia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião