EDP recua quase 2%. BCP ampara queda maior do PSI-20

A bolsa de Lisboa encerrou no vermelho pela terceira sessão consecutiva, penalizada pelas cotadas do setor energético. A impedir uma queda mais expressiva esteve o BCP.

A primeira sessão da semana foi de perdas para a bolsa de Lisboa. Os investidores reagiram negativamente à proposta do Ministério Público para suspensão de funções do presidente executivo da EDP, ao abrigo do processo que investiga as rendas excessivas pagas pelo Estado ao grupo. Mas a subida dos títulos do BCP contrabalançou o índice nacional, que acompanhou as perdas ligeiras registadas nas bolsas europeias.

Neste contexto, o PSI-20 desvalorizou 0,24%, para 4,597.93 pontos, naquela que foi a terceira sessão consecutiva no vermelho. De entre as 18 cotadas nacionais, nove encerraram com perdas, três permaneceram inalteradas face à cotação de sexta-feira e seis valorizaram.

A contribuir para o desempenho do índice nacional estiveram as empresas de energia. A EDP desvalorizou 1,88%, para 4,169 euros, o desempenho mais fraco da sessão, que pôs fim a três sessões consecutivas de ganhos. O grupo está a ser penalizado em bolsa depois de o Ministério Público ter pedido a suspensão de funções de António Mexia, presidente executivo, e também de João Manso Neto, membro do Conselho de Administração. Pelo mesmo caminho seguiu a EDP Renováveis, participada da EDP e liderada por Manso Neto, cujas ações caíram 0,98%, para 12,18 euros.

Ainda no setor energético, os títulos da Galp Energia recuaram 0,96% para 11,87 euros, numa altura em que o barril de petróleo está a desvalorizar 3,33% em Londres, para 40,89 dólares.

No sentido oposto, e a impedir uma queda mais acentuada do PSI-20, o BCP somou 2,74%, para 12,01 cêntimos, naquela que é a segunda sessão consecutiva de ganhos. Nas subidas, destaque ainda para a Nos, que avançou 1,17%, para 3,99 euros, e para a Navigator, que valorizou 0,76%, para 2,39 euros. A Mota-Engil liderou as subidas com um avanço de 3,54%, para 1,346 euros.

No resto das praças europeias, o sentimento também foi de perdas. O Stoxx 600 desvalorizou 0,23% para 374.47 pontos, contrariando a tendência de valorização registada ao longo da última semana. O desempenho é registado no dia em que a presidente do Banco Central Europeu, Christine Lagarde, exortou os líderes europeus a “aprovarem rapidamente” o pacote de ajudas proposto pela Comissão Europeia, tendo alertado que atrasos nas negociações poderão agravar as “necessidades financeiras” desta crise.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

EDP recua quase 2%. BCP ampara queda maior do PSI-20

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião