“Abutres” continuam a pairar sobre a Pharol

  • Rita Atalaia
  • 15 Novembro 2016

O interesse de fundos "abutres" na Oi continua a arrastar a Pharol para perdas. A empresa portuguesa afunda mais 8%. Está a viver o maior ciclo de quedas desde janeiro.

A Pharol continua a afundar. O interesse dos chamados fundos “abutres” na Oi continuam a arrastar a empresa portuguesa para terreno negativo. A Pharol, que detém 22% da telecom brasileira, está em queda há sete sessões naquele que é já o maior ciclo de quedas desde janeiro.

As notícias de que a Oi poderá estar na mira de dois fundos “abutres” — fundos de investimento que apostam em empresas falidas — continuam a pressionar a a antiga PT. A Pharol recua hoje mais 5,3% para 0,198 euros, depois de ter chegado a cair um máximo de 7,66%.

A Pharol já tinha afundado na primeira sessão desta semana, perdendo mais de 8%. Está a cair há sete sessões consecutivas, o maior ciclo de quedas desde o início do ano, período durante o qual afunda 22%.

“Abutres” levam Pharol a afundar

Fonta: Bloomberg (Valores em euros)
Fonta: Bloomberg (Valores em euros)

A Globo avançou na segunda-feira que a Oi poderá estar na mira do Elliott Management e do Aurelius Capital Management, os chamados fundos “abutres”. Relativamente ao Elliott em particular, a Globo escreve que a proposta deverá ser formalizada nas próximas semanas que prevê a aquisição de 60% da empresa, com um investimento de dez mil milhões de reais (2,7 mil milhões de euros), citando uma fonte próxima do processo.

Mas o interesse dos “abutres” não é o único fator a pressionar. O prejuízo que a Oi revelou na semana passada também está a deixar marcas na Pharol. A operadora de telecomunicações brasileira declarou um prejuízo líquido de 1017 mil milhões de reais, ou 292 milhões de euros, nos primeiros nove meses do ano.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

“Abutres” continuam a pairar sobre a Pharol

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião