A Tesla está a recrutar em Lisboa. Quer concorrer?

A fabricante de automóveis elétricos tem sete vagas abertas para Lisboa. De consultores a gestores de loja, conheça as oportunidades e os requisitos para cada uma delas.

A Tesla está a recrutar em Portugal. Ao todo, são sete as vagas disponíveis em Lisboa, para os departamentos de vendas e serviço, de acordo com a informação que consta no site oficial da empresa:

  • Especialista em entregas: A empresa assume estar “comprometida em dar a melhor experiência ao cliente desde que é feita a encomenda até ao dia da entrega”. E, por isso, está à procura de um especialista nesta área, numa oportunidade que, garante, “é ótima para ter um impacto direto na experiência dos clientes da Tesla”. Entre os requisitos estão a disponibilidade para viajar “20% do tempo” e licenciatura ou grau equivalente. O candidato(a) deve ainda saber falar bem inglês e, claro, português.
  • Especialista em produto: O especialista em produto é, basicamente, o vendedor: “O principal objetivo é proporcionar uma experiência engraçada e educacional aos clientes que entram nas lojas de retalho da Tesla”, explica a empresa. Será alguém que terá de dar boas-vindas aos clientes e responder às questões que lhe forem colocadas. Mais uma vez, saber português e inglês é obrigatório. Assim como ter carta de condução.
  • Consultor de vendas: A Tesla procura alguém que reporte diretamente ao gestor de loja, no sentido de lançar com o máximo de força o automóvel Model X no mercado. Esse consultor irá apresentar o carro a potenciais compradores e pessoas influentes, levá-los a testar o veículo e, em último caso, visitar clientes fora da loja. O sucesso das vendas será a sua principal responsabilidade, refere a empresa. Um dos requisitos é ter experiência neste tipo de serviço e ser capaz de criar uma rede de contactos relevante para o trabalho. Precisa também de ter carta de condução e boa capacidade de comunicação.
  • Consultor de serviços: A fabricante procura um consultor de serviços com experiência”, começa por explicar a empresa. O cargo implica muita interação com os clientes, pelo que o candidato(a) terá de ser uma pessoa astuta e capaz de atender muitos telefonemas e responder a e-mails. Uma das responsabilidades, avisa a Tesla, é “devolver chamadas em menos de cinco minutos”. Terá também de ter carta de condução há mais de dois anos e ser uma pessoa multi-tarefa, capaz de lidar com várias prioridades ao mesmo tempo.
  • Gestor de serviços: Uma pessoa fluente em português e inglês, com certificação para reparar sistemas de ar condicionado e licenciatura ou certificado em Tecnologia Automotiva. Este é o tipo de gestor de serviços que a empresa de Elon Musk quer recrutar, ao mesmo tempo que terá de ser alguém capaz de manter a integridade profissional e aparência. Carta de condução também é obrigatória.
  • Técnico de serviços: Como o gestor de serviços, o candidato(a) a técnico desta área tem de ser uma pessoa “tecnicamente sagaz”, indica a Tesla. Basicamente, a empresa está à procura de um mecânico, com conhecimento dos “métodos, técnicas, partes, ferramentas e materiais usados na manutenção e reparação de veículos”. Uma “certificação relevante” é um atributo valorizado.
  • Gestor de loja: Das sete vagas, esta será a mais curiosa, tendo em conta que a empresa ainda não está representada em Lisboa. A Tesla procura uma pessoa “enérgica, extremamente organizada e muito trabalhadora”, com “paixão por veículos elétricos e que goste de trabalhar em equipa”. Entre as responsabilidades estão a de “maximizar as vendas através da experiência do cliente, conhecimento do produto, apresentação e promoção”. A empresa dá primazia a licenciados (ou equivalentes), fluentes em português e inglês, com boas capacidades comunicativas e “forte conhecimento” e entre três e seis anos de experiência em “operações de loja de retalho e sistemas”, avisa a empresa.

Todos estes cargos podem ser consultados nesta página. Para concorrer, basta clicar na vaga, consultar os requisitos e carregar em “Apply”. Boa sorte.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

A Tesla está a recrutar em Lisboa. Quer concorrer?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião