Governo pretende pagar tudo ao FMI até 2019

De acordo com a nota do IGCP aos investidores, o Executivo pediu autorização para acelerar os reembolsos ao Fundo com vista ao pagamento de 9,7 mil milhões de euros nos próximos dois anos e meio.

Portugal pretende pagar o remanescente do empréstimo do Fundo Monetário Internacional (FMI) até final de 2019. Ou seja, nos próximos dois anos e meio, o Governo português pretende reembolsar os 9,7 mil milhões que ainda deve ao Fundo, dinheiro esse que foi pedido na sequência do resgate internacional ao país em 2011.

A informação consta de uma apresentação do IGCP, a agência que gere a dívida pública portuguesa, aos investidores e surge depois de o secretário de Estado das Finanças, Ricardo Mourinho Félix, ter adiantado no início desta semana que o Executivo já tinha feito esse pedido formal aos seus parceiros europeus, depois da recomendação de Bruxelas para a saída de Portugal do Procedimento por Défice Excessivo (PDE).

Com esse reembolso antecipado, o Governo e a agência liderada por Cristina Casalinho procuram baixar os custos de financiamento da dívida portuguesa, substituindo o empréstimo do FMI em que paga juros superiores a 4% com recurso ao mercado de capitais onde encontra condições mais favoráveis. A taxa da dívida a 10 anos, por exemplo, negoceia atualmente nos 3,2%.

Na nota aos investidores publicada na quarta-feira, o IGCP adianta ainda que 55% do objetivo de financiamento com Obrigações do Tesouro para 2017 já está cumprido, tendo levantado cerca de 15 mil milhões de euros desde o início do ano. “E praticamente cobriu as necessidades de financiamento de 2017”, adianta a instituição.

Por isso, “as próximas emissões servirão sobretudo para manter uma posição de liquidez confortável e pré-financiar as necessidades de 2018”, prossegue.

De acordo com as projeções do IGCP, o ano de 2017 deverá fechar com uma almofada financeira entre os 6,5 mil milhões de euros e os 7,5 mil milhões de euros, excluídas as garantias, números que estão em linha com o nível observado no final de 2015.

(Notícia atualizada às 9h02)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Governo pretende pagar tudo ao FMI até 2019

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião