Eurotemps. Soluções de recursos humanos à escala europeia

A Eurotemps reúne os serviços de 360 agências de seleção e recrutamento em Portugal, Espanha, França, Itália, Bélgica, Alemanha, Polónia e Luxemburgo. Talenter é a única portuguesa do consórcio.

“Vamos construir o futuro dos recursos humanos na Europa”. Esta é a máxima do Eurotemps, o primeiro consórcio de recursos humanos na Europa, que pretende dar resposta às necessidades crescentes de empresas que procuram parceiros de RH com um âmbito de atuação a nível europeu. No site oficial, as empresas podem aceder a serviços de recrutamento e seleção especializado de 360 agências em oito países na Europa. Em Portugal, o grupo de empresas de recrutamento Talenter é o único participante no consórcio.

A ideia surgiu da empresa de recrutamento francesa R.A.S. Interim, e o projeto conta ainda com a participação das empresas de recursos humanos e recrutamento R.A.S. Interim, em França, Luxemburgo e Espanha, da ASAP.be na Bélgica, da Expertum na Alemanha e da Orienta, na Itália e na Polónia.

“Mais do que um projeto de cariz comercial, a Eurotemps representa um espaço privilegiado de partilha de know-how e de práticas do setor numa perspetiva europeia o que, por si só, encerra uma enorme possibilidade de aprendizagem, inovação e melhoria efetiva nos nossos processos e serviços oferecidos”, sublinha César Santos, administrador da Talenter. “Através da Eurotemps, a Talenter fica também capacitada para dar resposta a necessidades de clientes no território europeu e com isso, naturalmente, aumentar o potencial comercial e de negócio do grupo”, acrescenta a empresa portuguesa em comunicado.

Nos próximos cinco anos, o consórcio Eurotemps quer aumentar a presença nos mercados locais, expandir para outros países da Europa e explorar a possibilidade de aumentar o leque de serviços oferecidos.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Eurotemps. Soluções de recursos humanos à escala europeia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião