Moratória do Santander terá transição automática para regime do Governo

Moratória do Santander para crédito a famílias e empresas já está disponível deste esta madrugada através do netbanco. Caso seja aprovada uma moratória legal, a transição é automática.

As moratórias do Santander já estão disponíveis para famílias e empresas desde a madrugada desta quinta-feira, diz o banco que esclarece os clientes que caso entretanto surja um regime legal a respetiva transição será automática.

“O Banco Santander Portugal, na sequência do anúncio efetuado na passada segunda-feira e dos esclarecimentos prestados pela EBA – European Banking Authority, disponibilizou já hoje [quinta-feira] aos seus clientes particulares e pequenas e médias empresas o acesso a uma moratória sobre os seus créditos”, diz a instituição liderada por Pedro castro e Almeida em comunicado.

Em causa está a possibilidade das famílias e empresas afetadas por dificuldades financeiras resultantes diretamente dos efeitos da pandemia Covid-19 poderem renegociar o seu empréstimo com carência imediata de amortização de capital durante seis meses.

Esse pedido já pode ser feito desde a madrugada desta quinta-feira através do Netbanco (sítio) do Santander Portugal (www.santander.pt), com o banco a esclarecer que tal pode ser concretizado pelos clientes “mesmo antes de completamente definido o enquadramento do regime destas moratórias que tem estado em discussão entre o setor e as autoridades oficiais”, salientando que “a medida visa dar uma resposta rápida às necessidades de liquidez imediatas”.

O banco adianta que a carência de capital de seis meses se aplica à “vasta maioria dos produtos comercializados pelo Santander“, e esclarece que “caso venha a ser aprovada uma moratória legal os clientes que venham a preencher os requisitos para enquadramento nesta moratória terão uma transição automática para este regime“.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Moratória do Santander terá transição automática para regime do Governo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião