Revista de imprensa internacional

Portugal mantém-se nos destinos favoritos dos brasileiros mais ricos. Nos EUA, o tema das alterações climáticas continua a gerar controvérsia. No Reino Unido, a Uber está sob investigação.

O tema das alterações climáticas continua a gerar controvérsia nos EUA. Por cá, Portugal continua a ser um dos destinos favoritos para os brasileiros com fortunas maiores. No Reino Unido, a Uber pode ser obrigada a pagar 1.000 milhões de libras em IVA não liquidado, numa altura em que a aplicação volta a torcer para não ser considerada uma empresa de transporte.

Bloomberg

Portugal é a “nova Miami” para brasileiros ricos

Incentivos fiscais agressivos e um mercado imobiliário em acelerada valorização estão a atrair cada vez mais brasileiros ricos para Portugal, que veem neste canto da Europa “a oportunidade de viver num paraíso fiscal que não é uma ilha das Caraíbas”. E se graças à administração Trump a imigração para os Estados Unidos está cada vez mais dificultada, é em Portugal que estes milionários estão a encontrar a sua “nova Miami”. Leia a notícia completa na Bloomberg (acesso condicionado, conteúdo em inglês).

Financial Times

BP reconhece “caminho insustentável” no consumo de energia

O chairman da BP, Helge Lund, reconheceu que o consumo de energia no mundo está “num caminho insustentável” e defendeu que a BP tem de ser preparada para o negócio das baixas emissões no futuro. Ainda assim, Lund não apresentou qualquer medida concreta e continuou a rejeitar os pedidos dos investidores para que aperte os limites máximos nas emissões de gases com efeito de estufa produzidas pela queima do combustível, uma das principais causas das alterações climáticas. Leia a notícia completa no Financial Times (acesso pago, conteúdo em inglês).

The New York Times

EUA mudam critérios para contar menos mortes prematuras causadas pela poluição

A Agência da Proteção Ambiental dos EUA tem planos para mudar o critério pelo qual são contabilizadas as mortes prematuras provocadas pelo flagelo da poluição atmosférica. A medida poderá resultar numa menor contabilização de mortes e em novos argumentos para a Administração Trump promover recuos nas políticas ambientais promovidas no passado. Leia a notícia completa no The New York Times (acesso condicionado, conteúdo em inglês).

The Times

Uber investigada no Reino Unido por não pagar IVA

A Uber está sob investigação das autoridades britânicas, acusada de não ter pagado 1.000 milhões de libras em IVA. A empresa não paga IVA a 20% sob as tarifas por alegar que é apenas uma intermediária no serviço e por os motoristas que trabalham ao serviço da aplicação recebem menos de 85.000 libras por ano. No entanto, se o Reino Unido concluir que a Uber é mesmo uma empresa de transporte e está sujeita ao IVA, os passageiros poderão enfrentar aumentos nos preços que poderão chegar aos 20%. Leia a notícia completa no The Times (acesso condicionado, conteúdo em inglês).

NPR

Presidente comediante da Urânica vai dissolver parlamento

O comediante Volodymyr Zelenskiy tomou posse esta segunda-feira como Presidente da Ucrânia e anunciou que uma das primeiras medidas que vai tomar é a dissolução do parlamento ucraniano, dando início ao processo para a convocação de eleições legislativas antecipadas. “O governo não é a solução para o nosso problema; o governo é o problema”, disse Zelenskiy, que conquistou a Presidência ao incumbente Petro Poroshenko. Leia a notícia completa na NPR (acesso gratuito, conteúdo em inglês).

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Revista de imprensa internacional

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião