Governo de Costa “rouba” 25% dos deputados eleitos pelo PS. Saiba quem os vai substituir no Parlamento

O novo Executivo terá 70 membros, 28 dos quais foram eleitos nas ida às urnas de 6 de outubro. Com a transição desses nomes para o Governo, abre-se espaço à chegada de novas caras à AR.

O novo Governo de António Costa terá 70 membros, 28 dos quais conquistaram um lugar no Parlamento nas eleições de 6 de outubro. Este desenho do novo Executivo “rouba”, assim, ao grupo parlamentar socialista um quarto dos 108 deputados eleitos na ida às urnas em causa, abrindo lugar para que novos rostos que não tinham tido sucesso nas eleições cheguem agora à Assembleia da República.

O primeiro-ministro indigitado apresentou, esta segunda-feira, ao Presidente da República a lista de nomes propostos para secretários de Estado. António Costa propôs 50 nomes, mais sete do que aqueles com que contou na última legislatura. Também no que diz respeito ao número de ministros — lista que já tinha sido conhecida na semana passada –, Costa decidiu alargar o elenco em relação ao Governo anterior: desta vez, escolheu 19 rostos, o que compara com os 17 ministros anteriores.

Tudo somado, o novo Governo de António Costa será composto por 70 pessoas, incluindo o próprio primeiro-ministro. Destes 70 membros, 28 foram eleitos para deputados nas listas que o PS apresentou às legislativas de 6 de outubro. Deste modo, um quarto do grupo parlamentar inicialmente previsto irá transitar da Assembleia da República para o XXII Governo Constitucional, deixando 28 lugares livres para que socialistas indicados mais abaixo nas listas eleitorais tomem agora esses lugares.

Foi ao círculo eleitoral de Lisboa que António Costa foi buscar mais nomes para formar o seu Governo. Além de o primeiro-ministro indigitado, há mais sete casos de transição do Parlamento para o Executivo: Mariana Vieira da Silva (ministra de Estado e da Presidência), Mário Centeno (ministro de Estado e das Finanças), Graça Fonseca (ministra da Cultura), João Gomes Cravinho (ministro da Defesa Nacional), Ana Sofia Antunes (secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência), Maria de Fátima Fonseca (secretária de Estado da Inovação e da Modernização Administrativa) e Susana Amador (secretária de Estado da Educação).

Neste círculo, o PS conseguiu 20 mandatos, ou seja, os primeiros 20 nomes da lista conquistaram assento parlamentar. Com a transição deste oito nomes para o Governo, os oito nomes que se seguem aos primeiros 20 ganharam agora a possibilidade de chegar à AR. Contudo, o 21º nome indicado é o de Miguel Cabrita, secretário de Estado Adjunto, do Trabalho e da Formação Profissional, ou seja, passam a integrar o grupo parlamentar os candidatos da 22º à 29ª posição na lista. São eles: Rita Mafalda Madeira (vereadora na Câmara da Amadora), Diogo Campos Rodrigues (que já era deputado na legislatura anterior), João Miguel Maçarico (deputado municipal em Alenquer), Alexandra Nunes de Moura (médica), Fernando Anastácio (que já era deputado na legislatura anterior), Fernando Paulo Ferreira, Vera Lúcia dos Santos e Paulo Jorge Marques (que também já era deputado na legislatura anterior).

No círculo de Setúbal, o PS conseguiu eleger nove deputados, dos quais três (Eduardo Cabrita para ministro da Administração Interna, Ricardo Mourinho Félix para secretário de Estado Adjunto e das Finanças e João Galamba para secretário de Estado Adjunto e da Energia) transitam para o Governo. Passam, assim, a ocupar o cargo de deputados Ana Sofia Araújo (quer já se sentava no hemiciclo na legislatura anterior), Fernando Miguel José (subdiretor-geral da DGERT) e Clarisse Campos (vereadora em regime de não permanência na Câmara de Alcácer do Sal e diretora do Centro e Emprego e Formação Profissional do Alentejo Litoral).

Em Santarém, o PS conseguiu quatro mandatos e dois dos nomes eleitos passam para o Executivo (Alexandra Leitão para Ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública e Maria do Céu Albuquerque para Ministra da Agricultura). Chegam, em substituição, ao Parlamento: Manuel António Afonso (professor associado na Universidade do Porto) e Maria Lúcia Coelho (membro da assembleia municipal da Câmara de Coruche).

Já no Porto, o partido de António Costa conseguiu 17 mandatos e dois dos nomes eleitos passam para o Governo (Matos Fernandes para Ministro do Ambiente e da Ação Climática e João Torres para secretário de Estado do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor). Em substituição entram Carlos Brás (vereador da Câmara Municipal de Gondomar) e Eduardo Barroco de Melo (membro da Assembleia Municipal de Vila Nova de Gaia).

Em Coimbra, dos cinco nomes eleitos, dois passam para a equipa de António Costa (Marta Temido para Ministra da Saúde e João Neves para secretário de Estado Adjunto e da Economia). Para o seu lugar na Assembleia da República entram João Eduardo Gouveia (que já era deputado na legislatura anterior) e Raquel Ferreira.

Já Faro “perde” para o Governo três dos deputados inicialmente eleitos (José Apolinário para secretário de Estado das Pescas, Jorge Botelho para secretário de Estado da Descentralização e da Administração Local e Jamila Madeira para secretária de Estado Adjunta da Saúde). Para completar os cinco mandatos conseguidos neste círculo eleitoral entram Ana Lúcia de Passos (que já era deputada na legislatura anterior), Francisco Pereira de Oliveira e Célia Rosa Paz.

Em Viana do Castelo, o lugar conquistado por Tiago Brandão Rodrigues (que continua como ministro da Educação) passa para José Manuel Carpinteira (que já era deputado na legislatura anterior). Na Guarda, o mandato conseguido por Ana Mendes Godinho (que substitui Vieira da Silva no ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social) passa para Cristina Almeida de Sousa (vereadora da Câmara de Seia).

Em Aveiro, o lugar conseguido por Pedro Nuno Santos (que continua como ministro das Infraestruturas e da Habitação) passa para Bruno Henriques (membro da assembleia municipal de Oliveira de Azeméis). Em Castelo Branco, o facto de Eurico Brilhante Dias se manter como secretário de Estado da Internacionalização abre espaço para a eleição de Joana Morgadinho Bento (vereadora na Câmara do Fundão).

Também os lugares conquistados por José Mendes (secretário de Estado do Planeamento), em Braga, por João Paulo Rebelo (secretário de Estado da Juventude e do Desporto), em Viseu, e por António Sales (secretário de Estado da Saúde, em Leira, passam para: Ana Maria Ribeiro da Silva, Maria Silva Reis (professora) e Sara Velez (membro da assembleia municipal das Caldas da Rainha), respetivamente.

E no círculo Fora da Europa, o mandato conquistado por Augusto Santos Silva (que transita para o novo Governo como ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros) passa para Paulo Porto Fernandes (advogado nascido no Brasil que exerce a sua profissão entre São Paulo e Porto).

Comentários ({{ total }})

Governo de Costa “rouba” 25% dos deputados eleitos pelo PS. Saiba quem os vai substituir no Parlamento

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião