Lisboa segue quedas da Europa. Energia pressiona

Setor energético pesou na bolsa, mas o destaque foi para as ações dos CTT que caíram mais de 6%. O BCP voltou a brilhar, subindo mais de 2%.

A bolsa nacional encerrou no “vermelho”, com apenas quatro cotadas a escaparem às perdas. A contribuir para esta “maré vermelha” em Lisboa estiveram as empresas do setor energético, sendo que o destaque da sessão foi para os CTT que caíram mais de 6%. O BCP, por seu lado, subiu mais de 2%, impedindo uma descida mais acentuada do índice.

O PSI-20 deslizou 1,82% para 5.083,02 pontos, com apenas três cotadas no “verde” e uma inalterada. Nas subidas, destaque para os títulos do BCP que somaram 2,01% para 0,1418 euros, representando a maior valorização nesta sessão, isto apesar dos prejuízos apresentados pelo Bank Millennium, na Polónia.

A Semapa e a Ibersol acompanharam a tendência positiva, registando ganhos de 0,68% e 0,33% respetivamente. A Corticeira Amorim, por seu lado, manteve-se inalterada.

A contribuir para esta “maré vermelha” na bolsa nacional estiveram as empresas do setor energético. A EDP Renováveis caiu 3,75% para 17,95 euros, enquanto a EDP recuou 3,84% para 4,381 euros. Ainda a pressionar Lisboa esteve a Galp Energia que perdeu 1,86% para 10,04 euros.

Destaque ainda para os CTT, cujas ações afundaram 6,32% para quatro euros, representando a maior descida desta sessão. A Nos perdeu 1,61% para 2,936 euros, enquanto a Jerónimo Martins desvalorizou 1,72% para 15,395 euros.

BCP brilha em “dia negro” em Lisboa

No resto da Europa a tendência é igualmente de perdas, num dia em que os investidores estão de olhos postos no setor tecnológico. As ações tecnológicas começaram a desvalorizar no início deste ano, com receios relacionados com a inflação, que podem levar a uma subida dos juros, especialmente nos EUA.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Lisboa segue quedas da Europa. Energia pressiona

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião