Finanças

A entidade terá "duas áreas principais de atividade": na supervisão ao branqueamento de capitais e ao financiamento de terrorismo e no apoio às Unidades de Informação Financeira da União Europeia.

Bruxelas propõe que a agência, que irá monitorizar e impor sanções a empresas transnacionais, seja criada em 2024 e comece a funcionar em 2026.