Quanto faturaram as 30 maiores sociedades em 2018?

As maiores sociedades de advogados a operar em Portugal terminaram o ano de 2018 com a faturação a atingir os 450 milhões de euros. A Morais Leitão lidera a tabela com 58,3 milhões de euros.

Existem perguntas às quais dificilmente conseguimos ter resposta facilmente. Quanto recebe um advogado? Quanto recebe, em média, um sócio? Ou até, quanto faturou a sociedade X ou Y? Estas são algumas perguntas que se impõem perante um mercado português cada vez mais fechado no que concerne à partilha da informação sobre a faturação.

A revista espanhola Iberian Lawyer apresentou os resultados de uma investigação que permite responder a todas estas questões. Foram selecionadas as 30 maiores sociedades a operar em Portugal e analisada a faturação de cada uma. No total, as sociedades arrecadaram 443,7 milhões de euros em 2018.

A Morais Leitão destaca-se entre as restantes com a faturação a ascender aos 58,3 milhões de euros. O crescimento de 6% é marcado pelo setor imobiliário que foi uma grande aposta da sociedade em 2018, aponta a Iberian Lawyer. Entre as maiores transações realizadas pela Morais Leitão, está o assessoramento jurídico realizado à construtora Teixeira Duarte na venda do parque empresarial Lagoas Park ao fundo de capital privado Kildare. O setor financeiro também esteve em destaque na sociedade liderada por Nuno Galvão Teles.

Próxima do topo da tabela ficou a PLMJ com uma faturação de 55 milhões de euros, que se traduz num crescimento de 13% face a 2017. O investimento realizado no setor imobiliário e de infraestruturas em pequenas e médias empresas assegurou à sociedade um bom resultado económico, assegura a revista espanhola. A assessoria à Morgan Stanley Infrastructure Partners e à Horizon Equity Partners na aquisição de uma participação de 75% nas torres de telecomunicações da Altice Portugal contribuiu também para o desempenho económico da sociedade de Luís Miguel Pais Antunes.

A Vieira de Almeida surge em terceiro lugar na tabela com 52 milhões de euros. A sociedade de João Vieira de Almeida investiu no ano de 2018 em fundos de private equity, de pensões e de infraestruturas que terão proporcionado o crescimento de 2%, revela a Iberian Lawyer.

Com 32 milhões de euros posiciona-se em seguida a Uría Menéndez – Proença de Carvalho. A sociedade ibérica encontra-se no top 5 das sociedades com o faturação mais elevadas em 2018. Comparativamente às restantes duas sociedades ibéricas a operar em Portugal, a Uría Menéndez – Proença de Carvalho ocupa o primeiro lugar, deixando para trás a Cuatrecasas, em sétimo lugar com 22,4 milhões de euros, e a Garrigues, em oitavo lugar com 16 milhões de euros.

A completar o top 5 está a Abreu Advogados com uma faturação de 25 milhões de euros igualando o valor da Miranda & Associados. No final da tabela encontra-se a RRP Advogados com um valor estimado em 2,8 milhões de euros.

Os sócios e a faturação

Mais uma vez a Morais Leitão volta a ocupar o primeiro lugar com uma maior número de sócios, 64 no total, revela a Iberian Lawyer. Bastante aproximada encontra-se a PLMJ com 61 sócios, seguindo-se a Vieira de Almeida com 42 sócios e a Abreu Advogados e Cuatrecasas com 28 sócios, cada. A sociedade que conta com a participação de um menor número de sócio é a RRP Advogados, tendo apenas Ricardo Reigada Pereira como sócio.

Por sua vez, é a RRP Advogados que surge com a faturação por sócio mais elevada, totalizando o valor de 2,8 milhões de euros. A sociedade que ocupa o segundo lugar no que concerne à faturação dos sócios é a Linklaters, com 2,1 milhões de euros. Em seguida encontra-se a Uría Menéndez – Proença de Carvalho, com 1,6 milhões de euros. Em quarto lugar surge a sociedade ibérica Garrigues com 1,3 milhões de euros. Para completar o top 5 surge a Vieira de Almeida com 1,2 milhões. No fundo da tabela encontra-se a Pares Advogados com uma faturação por sócio a rondar os 300 mil euros.

Os advogados e a faturação

Quando falamos da faturação auferida pelos advogados os valores tendem a diminuir substancialmente. A faturação mais alta é de 350 mil euros e pertence à AAMM. A Linklaters surge logo a seguir na tabela com 333 mil euros. Na terceira posição surge a Uría Menéndez – Proença de Carvalho a atingir os 288 mil euros. A completar o top 5 encontram-se a Morais Leitão e a Garrigues, com um valor médio de 261.000 e 258.000 euros, respetivamente. A sociedade PRA apresenta a faturação mais baixa por advogado, totalizando um valor de 50 mil euros.

Em termos quantitativos, a PLMJ lidera com 298 advogados no ano de 2018, um aumento de 10% comparativamente a 2017. Com uma diferença de oito profissionais, surge a Vieira de Almeida com 290 advogados. A Morais Leitão e a Abreu Advogados surgem logo a seguir com 223 e 184 advogados, respetivamente. A ibérica Cuatrecasas ocupa o quinto lugar com 137 advogados. O final da tabela é ocupado pela AAMM que conta apenas com o contributo de oito advogados.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Quanto faturaram as 30 maiores sociedades em 2018?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião