Sem motoristas, Cabify põe fim ao serviço para empresas em Portugal

O serviço corporativo da Cabify em Lisboa e no Porto vai acabar a 30 de novembro. A empresa está em dificuldades e admite que não conseguiu "encontrar a melhor forma para gerar o impacto" que queria.

A Cabify vai deixar de operar o serviço para empresas em Portugal, mais um sinal das dificuldades que a empresa enfrenta no país e da reestruturação que está a ser levada a cabo no negócio. Ao que o ECO apurou, 30 de novembro é a data para o fim do serviço de transporte corporativo da plataforma em Lisboa e no Porto.

“Tendo em conta que não conseguimos encontrar a melhor forma para gerar o impacto que gostaríamos, a partir de 30 de novembro vamos deixar de operar em Lisboa e no Porto com o nosso serviço para empresas”, informou a empresa espanhola numa mensagem enviada aos gestores de frotas a 31 de outubro, à qual o ECO teve acesso. Apesar do fim do serviço em Portugal, a Cabify aponta que continuará a explorar este negócio noutras cidades fora do país, como é o caso de Barcelona e Madrid (Espanha).

Como o ECO avançou em setembro, a Cabify não está a conseguir atrair motoristas para a plataforma. Face a este problema, os elevados tempos de espera e até a impossibilidade de intermediar algumas viagens levaram a que muitos clientes optassem por serviços concorrentes, como a Uber, a Bolt e a Kapten. A empresa espanhola já assumiu que 2019 “tem sido desafiante”, mas também garantiu que continua empenhada em dar a volta ao negócio em Portugal.

O serviço corporativo da Cabify permitia às empresas terem uma conta business, com facilidades ao nível da contabilidade e da emissão de faturas. Além disso, as empresas clientes da Cabify podiam solicitar transporte para vários colaboradores em simultâneo. Ora, o fim anunciado da Cabify para empresas é indicativo de que a plataforma eletrónica não estará a conseguir dar resposta a esta responsabilidade.

A plataforma para empresas da Cabify tinha sido renovada em abril do ano passado, altura em que a empresa comunicou que o novo serviço iria permitir “o aumento dos níveis de produtividade e de eficiência das empresas”. A 24 de abril, a Cabify revelava ter um portefólio de clientes composto por “mais de 50 mil empresas em todo o mundo”. Desconhecem-se quantas empresas usam o serviço em Portugal atualmente.

O fim do serviço para empresas em Portugal não implica o fim da operação da Cabify em Portugal, até porque a empresa tem estado a ser alvo de uma reestruturação significativa em todo o mundo, comandada por Daniel Bedoya. No entanto, as dificuldades que levaram ao fim do serviço corporativo são as mesmas que afetam o serviço para utilizadores comuns.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Sem motoristas, Cabify põe fim ao serviço para empresas em Portugal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião