Galaxy Fold em Portugal? Samsung pode lançá-lo já no fim deste mês

A Samsung estará a preparar-se para lançar em Portugal o Galaxy Fold, o telemóvel que dobra ao meio e permite ter até três aplicações a correr em simultâneo.

A Samsung deverá anunciar no fim deste mês o lançamento do telemóvel dobrável Galaxy Fold em Portugal, a tempo da época das compras do Natal.

A empresa divulgou uma nota de agenda para 26 de novembro, na qual consta a indicação “Samsung dobra a aposta em Portugal” e uma imagem estilizada do novo smartphone, apresentado em fevereiro deste ano. Na informação, enviada ao ECO, são ainda prometidos “todos os detalhes em breve”.

Numa nota de agenda posta a circular pela Samsung, a empresa sugere o lançamento do Galaxy Fold a 26 de novembro.Samsung

Contactada pelo ECO, fonte oficial da Samsung Portugal não quis confirmar se o convite se refere ao Samsung Galaxy Fold. No entanto, o convite é suficientemente claro para indicar que a “aposta” em Portugal é o Galaxy Fold, o novo flagship da marca.

O Galaxy Fold foi o primeiro smartphone dobrável a ser apresentado no mercado, num ano em que também a Huawei, bem como outras marcas, apresentaram soluções semelhantes. Tem um ecrã com 4,6 polegadas na parte da frente, mas que pode ser desdobrado, dando lugar a um ecrã maior, com 7,3 polegadas e capacidade para três aplicações a correr em simultâneo.

O preço de lançamento do Galaxy Fold ronda os 2.000 euros, um valor claramente acima da média do mercado até aqui e em linha com as soluções apresentadas pelas marcas concorrentes. Desconhece-se qual o preço que a Samsung vai praticar em Portugal.

A marca sul-coreana tem enfrentado dificuldades no lançamento deste produto, depois de vários jornalistas norte-americanos com unidades de teste terem notado que o equipamento ficava danificado ao fim de dois dias de utilização. Isso levou a Samsung a recuar e a trabalhar em melhorias para evitar o problema, antes de pôr o inovador telemóvel à venda.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Galaxy Fold em Portugal? Samsung pode lançá-lo já no fim deste mês

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião