Paul Singer já não é acionista qualificado da EDP. Controla agora 1,91%

Paul Singer, o famoso investidor que controla o hedge fund Elliot Management, vendeu parte das ações que detinha na EDP, controlando agora menos de 2% da elétrica nacional.

Paul Elliot Singer, o homem que travou a OPA dos chineses sobre a EDP EDP 0,22% , já não é acionista qualificado da elétrica nacional. O líder do hedge fund Elliot Management vendeu parte dos 2,45% que detinha da elétrica nacional, controlando agora 1,91% da empresa. A posição é inferior aos 2% necessários para conferirem a Paul Singer o estatuto de acionista qualificado.

Esta informação foi remitida à CMVM pela EDP, num comunicado, e pode representar um virar de página para o grupo liderado por António Mexia. O percurso de Paul Singer nos mercados de capitais é amplamente conhecido em Wall Street, marcado por apostas lucrativas em empresas em dificuldades, o que lhe conferiu os títulos de “fundo abutre” e “investidor ativista”.

No caso da EDP, Paul Singer entrou de rompante na EDP com a compra de 2,3% da empresa em 2018, uma posição avaliada na altura em 260 milhões de euros e que foi revelada aos mercados em outubro desse ano. Mas só passados alguns meses é que o hedge fund revelou ao que vinha.

Recorrendo ao seu método habitual, Paul Singer remeteu uma carta ao Conselho Geral e de Supervisão da EDP, mostrando-se contra a OPA (oferta pública de aquisição) da China Three Gorges que, então, estava em curso. Além disso, pressionou também a administração a vender a EDP Brasil.

Algum tempo depois, a atuação do fundo liderado por Paul Singer revelar-se-ia determinante para o insucesso da oferta chinesa sobre a EDP. Promovendo uma votação ao fim da blindagem dos estatutos da elétrica portuguesa, o sufrágio em assembleia-geral levou a que mais de 56% dos acionistas, representantes de 65,18% do capital da EDP, chumbassem essa alteração, levando a China Three Gorges a desistir da OPA.

Apesar da venda, Paul Singer ainda detém quase 70 milhões de ações da EDP, uma posição na elétrica que está avaliada em 284,9 milhões de euros. O cálculo tem por base o preço de 4,08 euros por ação a que as ações da EDP estão a cotar esta terça-feira.

Evolução das ações da EDP na bolsa de Lisboa

(Notícia atualizada pela última vez às 21h27)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Paul Singer já não é acionista qualificado da EDP. Controla agora 1,91%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião