Haitong: Aquisições podem acelerar crescimento da Corticeira

Dividendo desiludiu analistas, que consideram que Corticeira Amorim pode avançar para aquisições para acelerar crescimento da empresa.

A Corticeira Amorim COR 0,00% quase duplicou os lucros em 2016, para um valor acima dos 100 milhões de euros. Para os analistas, os resultados saíram em linha com o esperado. Ainda assim, o Haitong considera que aquisições podem acelerar o crescimento da produtora de rolhas de cortiça.

“A atividade de fusões e aquisições representa outro potencial gatilho, tendo em conta que a Corticeira disse publicamente que pode aproveitar a oportunidade de adquirir outros concorrentes ou distribuidores especialmente em áreas de nicho que poderiam acelerar o crescimento”, referiu Nuno Estácio, analista do ex-BESI.

"A atividade de fusões e aquisições representa outro potencial gatilho, tendo em conta que a Corticeira disse publicamente que pode aproveitar a oportunidade de adquirir outros concorrentes ou distribuidores especialmente em áreas de nicho que poderiam acelerar o crescimento.”

Nuno Estácio

Analista do Haitong

O analista diz que a Corticeira Amorim “continua a gozar de um bom momento no mercado das rolhas de cortiça, especialmente nos segmentos premium. Isto levou a um aumento dos preços médios que, juntamente com uma melhor eficiência, deverá manter suporte ao crescimento da margem do EBITDA”.

Outra área que poderá beneficiar a empresa liderada por António Rios de Amorim reside nas novas aplicações para a cortiça, segundo o Haitong: “A Corticeira Amorim tem uma unidade especializada no desenvolvimento de novas alternativas que podem representar novas formas de crescimento”. Aquela casa de investimento tem a Corticeira Amorim como uma das suas balas de prata, atribuindo um preço alvo de 11 euros.

A Corticeira Amorim quase duplicou os lucros em 2016 e alcançou um resultado líquido recorde: 102 milhões de euros. A contribuir para este desempenho esteve, em grande parte, a venda da participação na fabricante de pavimentos US Floors, que resultou num encaixe de 30 milhões de euros para a empresa.

Dividendo abaixo do esperado

Se os resultados ficaram em linha com as estimativas, já o dividendo de 18 cêntimos por ação que a gestão propõe defraudou as expectativas do analista José Mota Freitas, do CaixaBI, que tem uma recomendação de compra para os títulos da Corticeira Amorim e aos quais atribui um preço alvo de 10 euros.

“A Corticeira Amorim teve um ano forte em resultados, conseguindo apresentar crescimentos de vendas e de margens em todos os segmentos operacionais”, referiu o analista. “O resultado líquido cresceu 87%, 2,6% acima das nossas estimativas, ultrapassando a marca dos 100 milhões de euros, como esperado. A Corticeira Amorim está a propor o pagamento de um dividendo de 0,18 euros por ação, o que se situa abaixo das nossas projeções“, reforça.

As ações da Corticeira Amorim estão a subir esta quarta-feira 1,68% para 9,88 euros, acumulando uma valorização de 16,27% desde o início do ano.

Corticeira Amorim regista um dos melhores desempenhos em Lisboa

Nota: A informação apresentada tem por base as notas emitidas pelos bancos de investimento, não constituindo uma qualquer recomendação por parte do ECO. Para efeitos de decisão de investimento, o leitor deve procurar junto dos bancos de investimento a nota na íntegra e consultar o seu intermediário financeiro.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Haitong: Aquisições podem acelerar crescimento da Corticeira

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião