O mercado dos smartphones “não está morto”. E a Samsung voltou a ser líder

Segundo os últimos dados da consultora IDC, o mercado dos smartphones voltou a acelerar no primeiro trimestre, depois de um fraco ano de 2016. Além disso, a Samsung voltou a ultrapassar a Apple.

A Samsung voltou a ser líder de mercado no primeiro trimestre (22,8% de quota).Flávio Nunes/ECO

O mercado global de smartphones voltou a ganhar ritmo no primeiro trimestre deste ano. Segundo a consultora IDC, as fabricantes venderam 347,4 milhões de unidades entre janeiro e março, um crescimento homólogo de 4,3%, acima dos 3,6% estimados previamente. São números que, para Ryan Reith, responsável por este trabalho trimestral, “provam que o mercado dos smartphones não está morto e que o crescimento ainda existe”.

De acordo com a IDC, os consumidores continuam a mostrar apetite por smartphones e as expectativas em relação aos mais mediáticos topos de gama mantêm-se tão altas como sempre. A consultora reconhece que o ano de 2016 foi crítico com o desacelerar deste mercado, mas acrescentou: “Acreditamos que a indústria vai mostrar alguma recuperação em 2017, tendo em conta que os fortes resultados do primeiro trimestre certamente suportam este argumento.”

O fraco crescimento registado em 2016 foi, em parte, explicado com a maturidade do mercado, assim como com a falta de elementos inovadores nos aparelhos, capazes de motivar os consumidores a abrirem os cordões à bolsa. Apesar da maior feira do setor, realizada no princípio do ano, ter evidenciado mais uma vez essa tendência (recorde aqui a análise do ECO), a IDC indica que o público está a receber bem os novos topos de gama de marcas como a Samsung e a Huawei.

“As grandes apresentações de topos de gama pela Huawei com o P10 e da Samsung com o S8 mostram que a inovação ainda é possível. E ainda que a Apple não tenha realizado nenhuma apresentação formal, é seguro dizer que a indústria está amplamente a antecipar o que virá das apresentações do iPhone deste ano”, sublinha a consultora.

"Acreditamos que a indústria vai mostrar alguma recuperação em 2017.”

Ryan Reith

Responsável pelo Worldwide Quarterly Mobile Phone Tracker

Samsung volta a ultrapassar a Apple

Por falar em Apple, a Samsung voltou ao primeiro lugar no pódio das quotas de mercado globais. A fabricante sul-coreana ultrapassou a Apple no primeiro trimestre, depois da queda resultante do fiasco do Galaxy Note 7 no final do ano passado.

A marca garantiu uma fatia de 22,8% do mercado entre janeiro e março de 2017, com um volume de vendas na ordem dos 79,2 milhões de unidades. A Apple garantiu 14,9% de quota, com um volume de 51,6 milhões de unidades vendidas — recorde-se que a marca vai oficialmente apresentar resultados trimestrais esta terça-feira, às 22h (hora e Lisboa).

O regressar da Samsung ao pódio mostra que os consumidores estão a dar uma segunda oportunidade à marca, depois do escândalo das baterias defeituosas do Note 7, assim como da detenção de um administrador por suspeitas de corrupção. A Samsung apresentou recentemente o Galaxy S8 em Londres e Nova Iorque, um telemóvel que volta a pôr às expectativas em níveis recorde. Os aparelhos chegaram ao mercado português no passado dia 28 de abril.

Em contrapartida, isso coloca mais pressão sobre a Apple, que se prepara para o lançamento de mais um iPhone no próximo outono. A marca não apresentou alterações significativas no lançamento do iPhone 7 do ano passado, guardando muitas das novidades para a edição deste ano, que vai assinalar os dez anos do lançamento do produto. A marca está, desta forma, quase que obrigada a apresentar um modelo que realmente convença os fãs a atualizarem os modelos.

No terceiro lugar da tabela das quotas e mercado está a chinesa Huawei, com uma fatia de 9,8%, seguida pela Oppo e pela Vivo. Os dados da IDC ainda são preliminares e podem sofrer alterações.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

O mercado dos smartphones “não está morto”. E a Samsung voltou a ser líder

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião