Haitong corta avaliação da EDP por causa dos CMEC

Questões regulatórias em Portugal e Espanha levam Haitong a rever em baixa o preço-alvo da elétrica liderada por António Mexia. Ainda assim, diz que EDP mantém-se a um preço atrativo.

O banco de investimento Haitong cortou a avaliação que atribui às ações da EDP EDP 0,79% em 7% porque considera que elétrica liderada por António Mexia “enfrenta acontecimentos regulatórios importantes no curto prazo em Portugal”, nomeadamente “a revisão dos contratos CMEC com a ERSE” e ainda “os novos parâmetros para a distribuição de eletricidade no próximo período regulatório que deverão ser conhecidos em outubro”.

Com efeito, o banco reviu em baixa o preço-alvo do título dos 3,55 euros para os 3,30 euros, “com o impacto de -0,06 euros com o nosso novo cenário de maiores restrições regulatórias na distribuição em Portugal e Espanha”. Mantém, ainda assim, a recomendação de compra, dado que acredita que tem um potencial de valorização de 10% face à cotação de fecho da última sexta-feira.

O Haitong estima um corte de receitas na ordem dos 50 milhões de euros em 2018. Por outro lado, em relação aos contratos energéticos, que deram origem a investigação por parte do Ministério Público, o banco considera que “há o risco de que, durante as negociações, o regulador imponha ajustamentos negativos” para a EDP.

“Estimamos que esses ajustamentos, juntamente com as questões regulatórias pendentes relacionadas com o mercado de serviços auxiliares, possam representar um impacto negativo superior a 350 milhões de euros“, argumenta o banco, que sublinha ainda riscos regulatórios em Espanha.

Apesar da revisão em baixa do preço-alvo, o Haitong diz que a EDP continua a ser “o título mais barato no setor”. “Vemos as métricas de avaliação a melhorar assim que os riscos regulatórios começarem a desvanecer e por isso reiteramos a recomendação de Compra, suportado pelo nosso preço-alvo de 3,30 euros por ação”, sublinha.

As ações da EDP recuam 0,17% para 2,99 euros esta segunda-feira. Desde o início do ano valorizam 3,4%. A empresa apresenta resultados na quinta-feira. Os analistas sondados pela Bloomberg apontam para subida do lucro para os 213 milhões de euros no segundo trimestre do ano.

EDP em queda

Nota: A informação apresentada tem por base a nota emitida pelo banco de investimento, não constituindo uma qualquer recomendação por parte do ECO. Para efeitos de decisão de investimento, o leitor deve procurar junto do banco de investimento a nota na íntegra e consultar o seu intermediário financeiro.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Haitong corta avaliação da EDP por causa dos CMEC

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião