Motoristas da Uber vão poder escolher preço das viagens. Podem cobrar até o dobro do normal

Os condutores da Uber em Lisboa podem agora aplicar um "multiplicador" sobre o preço final cobrado aos passageiros. Viagem de 10 euros pode ter um desconto de três euros, ou acabar por custar o dobro.

A Uber Portugal vai dar aos motoristas um maior controlo sobre os preços cobrados aos passageiros em Lisboa. Os condutores ao serviço da plataforma na capital portuguesa podem agora optar por aplicar um “multiplicador” que incide sobre o preço final da corrida. No limite, este pode baixar num fator de 0,7 ou subir até ao dobro do preço que seria normal.

A opção do “multiplicador” é uma novidade no mercado português, onde os preços das viagens na plataforma sempre foram definidos pela multinacional norte-americana. Ao que o ECO apurou, a informação foi comunicada esta quinta-feira à tarde aos motoristas e parceiros da plataforma e, para já, não estará disponível noutras cidades do país.

Contas feitas, uma viagem que normalmente custaria 10 euros ao passageiro pode passar a custar 7 euros no cenário mais favorável, ou 20 euros no cenário mais desfavorável — isto é, o dobro. Já uma viagem que normalmente custaria 15 euros passará a custar, no limite, entre 10,5 euros (um desconto de 4,5 euros) e 30 euros (um acréscimo de 15 euros, para o dobro).

Os motoristas podem ainda decidir não mexer no preço, situação à qual se aplica a tarifa normal. Assim, seguindo o exemplo acima, uma viagem de 15 euros custará os mesmos 15 euros ao passageiro. 25% do valor total da viagem continua a ir para a Uber sob a forma de comissão, constituindo receita própria da empresa como é habitual, não tendo reflexo direto no preço a pagar pelos clientes da empresa de transporte.

Apesar da flexibilidade na definição dos preços, o método de cálculo do preço base mantém-se: são cobrados 90 cêntimos a partir do momento em que começa a viagem, somando-se 9 cêntimos por minuto e 59 cêntimos por quilómetro contabilizados em simultâneo.

No momento de pedirem a boleia, os passageiros verão o preço final da viagem, já com a indicação do multiplicador definido pelo condutor, podendo decidir aceitar ou rejeitar o serviço. Se existirem tarifas dinâmicas mais elevadas do que o “multiplicador” escolhido pelo motorista, é aplicado o preço mais elevado.

À espera de mais regulamentação

Califórnia (EUA) e Suíça são dois dos mercados onde já existe esta funcionalidade da Uber, que agora é também testada em Lisboa, Portugal. Contactada pelo ECO, fonte oficial da empresa em Portugal explica que a nova opção visa permitir que os motoristas decidam os preços, “garantindo mais controlo sobre os seus serviços”. “Este é um passo para aumentar a flexibilidade e escolha que sabemos que os motoristas valorizam”, assegura a empresa liderada por Manuel Pina.

Em julho, quando a funcionalidade foi alargada a todo o Estado da Califórnia, a imprensa local explicou tratar-se de uma medida que permite à empresa alegar que os motoristas são trabalhadores independentes, ao invés de funcionários da própria plataforma. A regulação do trabalho na chamada “economia da partilha” tem sido um tema quente a nível internacional, sendo que aquela região dos EUA tem marcado a atualidade pelas regras mais apertadas a este nível.

Na semana passada, o Dinheiro Vivo noticiou que o Governo português pretende avançar com a regulação do trabalho a partir de aplicações móveis. O jornal indicou que mais de um décimo dos trabalhadores portugueses retiram parte ou todo o rendimento deste tipo de plataformas digitais.

Preços demasiado altos? Uber vai avisar

Concretamente para os motoristas da Uber, a alteração permitirá que estes optem por rendimentos mais baixos por cada viagem, mas potencialmente mais viagens, ou por uma maior rentabilização do tempo, mas com o risco de executarem um menor volume de corridas. Esta deverá ser a alteração introduzida pela Uber Portugal que mais mexerá com a dinâmica económica do mercado lisboeta, depois da redução dos preços introduzida no início do ano.

Para ajudar à tomada de decisão, “enquanto estiverem online, os motoristas irão receber notificações se estiverem a perder viagens por terem estabelecido uma tarifa acima do que os utilizadores pretendem pagar”. “Agora que podem definir as suas tarifas, o mapa de calor não irá mostrar informações sobre a tarifa dinâmica. Em vez disso irá destacar as áreas de grande procura para informar o local onde os tempos de espera são mais curtos”, lê-se na informação remetida aos motoristas e parceiros.

A definição da tarifa pelos condutores pode ser feita no menu “Preferências de Condução” da aplicação da Uber para motoristas. Os motoristas poderão escolher um “multiplicador” diferente para cada serviço, UberX, UberXL, Uber Star, Uber Green e Uber Comfort. Quando se colocam offline, o “multiplicador” é definido para o nível base de 1.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Motoristas da Uber vão poder escolher preço das viagens. Podem cobrar até o dobro do normal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião