Orçamento prevê crescimento de 2,2% em 2019

O cenário macro económico do Orçamento do Estado para 2019 aponta para uma revisão em baixa de 0,1 pontos percentuais do PIB para o próximo ano face à estimativa anterior.

O ministro das Finanças, Mário Centeno, está a elaborar o Orçamento do Estado com uma previsão de crescimento de 2,2% e de taxa de desemprego de 6%, avançou André Silva, do PAN, no final da reunião desta terça-feira, no Parlamento, com o ministro das Finanças Mário Centeno, para a apresentação das linhas gerais do Orçamento do Estado para 2019. Já o défice será de 0,2%.

Os 2,2% de estimativa de crescimento para 2019 representam uma revisão em baixa de 0,1 pontos percentuais face ao que era inicialmente estimado pelo Executivo (2,3%), mas, ainda assim, é um cenário bastante mais otimista do que o avançado pelo Fundo Monetário Internacional esta terça-feira no Word Economic Outlook (1,8%) ou pelo Banco de Portugal (1,9%).

Por outro lado, de acordo com o responsável do PAN — o primeiro partido a ser recebido pelo ministro das Finanças esta manhã –, ouvido pelos jornalistas no final da reunião e cujas declarações foram transmitidas pelas televisões, o cenário macro económico prevê uma redução da taxa de desemprego para 6% no próximo ano — uma revisão em baixa face aos 7,2% previstos para 2019 — e uma redução da dívida pública para 117% do PIB, também aqui uma revisão em baixa de um ponto percentual face à estimativa inscrita no Programa de Estabilidade (118,4%)

Quanto ao défice, André Silva avançou que o valor que está em cima da mesa é de zero a 0,2%, de acordo com a referência feita por Mário Centeno durante a reunião. O responsável do PAN lembra que “a proposta do Orçamento não está fechada” e que, por isso, continua a pedir que “sejam inseridas medidas no âmbito da mobilidade elétrica e da inserção de pessoas no serviço de saúde e no ensino superior com a criação de gabinetes de apoio aos estudantes com necessidades especiais”.

No entanto, cerca de duas horas depois, o Ministério das Finanças confirmou ao Dinheiro Vivo que a meta do défice para 2019 se mantém em 0,2% do PIB e os próprios Verdes, nas declarações aos jornalistas no final do seu encontro, retificou também que o valor do défice referido por Mário Centeno foi de 0,2%. O PAN, contactado pelo Observador, admitiu que André Silva se possa ter enganado quanto ao valor do défice.

André Silva elogiou o facto de o Orçamento do Estado para 2019, “pela primeira vez”, incluir uma medida do PAN — a isenção do IVA para os artistas tauromáquicos.

Esta terça-feira, Mário Centeno recebe os partidos no Parlamento para lhes apresentar aquelas que serão as linhas gerais do OE para 2019. Este encontro acontece todos os anos, dias antes da entrega do documento. As reuniões foram agendadas para o dia de hoje: às 9h45 é a vez do encontro com o PAN, às 10h30 do PSD, às 11h15 do PEV, às 12h do BE e às 12h45 do PCP. Para as 14h está marcada a reunião com o CDS. O Governo deverá entregar o Orçamento do Estado até ao próximo dia 15 de outubro, segunda-feira, na Assembleia da República.

(Notícia atualizada às 15h00 com mais informações.)

Comentários ({{ total }})

Orçamento prevê crescimento de 2,2% em 2019

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião