Absolvido no Senado, Donald Trump acusa oposição de “corrupção”

O presidente dos EUA reagiu à absolvição do Senado no julgamento do impeachment, denunciando o que considerou serem "pessoas muito desonestas e corruptas" focadas em o destruir, bem como o país.

Numa reação à absolvição no julgamento do impeachment, o presidente dos EUA denunciou o que considerou serem “pessoas muito desonestas e corruptas” que o querem destruir, assim como o país.

“Como toda a gente sabe, a minha família, o nosso país maravilhoso e o vosso presidente foram sujeitos a terríveis provocações por algumas pessoas muito desonestas e corruptas. Fizeram tudo o que estava ao alcance para nos destruir e, por isso, para prejudicarem em muito a nossa nação”, afirmou Trump, num pequeno-almoço com líderes religiosos, políticos e outros dignitários, de acordo com o The New York Times (acesso pago).

Segundo o jornal, o evento anual, conhecido por National Prayer Breakfast, é tradicionalmente bipartidário e de concórdia entre os dois maiores partidos norte-americanos. Porém, no discurso, no rescaldo do julgamento no Senado, Trump exibiu jornais com a manchete “absolvido” e a sua própria foto, naquele que já é considerado o discurso mais político que alguma vez um presidente fez neste evento anual.

As declarações foram proferidas na mesma sala em que estava presente Nancy Pelosi, porta-voz da Câmara dos Representantes e impulsionadora do impeachment, que resultou nas acusações de abuso de poder e obstrução ao Congresso contra o Presidente em funções, além do senador republicano Mitt Romney, que votou pela destituição de Trump.

Numa clara referência aos dois políticos norte-americanos, Trump continuou: “Eles sabem que o que estão a fazer é errado, mas colocam-se à frente do nosso grande país”. Dito isto, enalteceu os “corajosos políticos e líderes republicanos” que tiveram a “sabedoria” e “força” de votarem contra a destituição.

Na quarta-feira, quatro meses depois do início do processo do impeachment, o Senado, controlado pelo Partido Republicano, votou pela absolvição de Donald Trump por uma maioria de 53 votos, contra 47 votos a favor da destituição.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Absolvido no Senado, Donald Trump acusa oposição de “corrupção”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião